Em destaque

20 de Setembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.7133 patacas e 1.2006 dólares.

Pansy Ho pede “avaliação das fragilidades” da cidade
Sexta, 01/09/2017

O tufão Hato foi uma catástrofe sem paralelo nas últimas décadas mas é necessário assegurar que, no futuro, Macau vai estar preparado para responder a um incidente de igual gravidade. Quem o diz é Pansy Ho. Numa entrevista à TDM Rádio Macau, a Presidente da MGM-China adianta que, no imediato, a prioridade deve passar por uma avaliação completa das fragilidades que foram expostas pelo tufão Hato.

 

“O mais importante, neste momento, é fazer uma avaliação completa das nossas fragilidades enquanto cidade e identificar as várias áreas que foram afectadas. De seguida devemos ser capazes de nos unirmos em torno de um calendário razoável que aborde todos os problemas detectados. Isto acompanhado por um programa claro e detalhado de acções de recuperação e reconstrução de todas as infra-estruturas. E também sobre como pretendemos proteger-nos de uma maneira mais eficaz no futuro”, afirma Pansy Ho, em entrevista à Rádio Macau, que vai para o ar Sábado, ao meio-dia.  

 

A empresária defende, no entanto, que esta tarefa não cabe apenas ao Governo, mas a toda a sociedade. “Esta é uma responsabilidade que não recai apenas sobre um organismo governamental específico, nem é tão pouco um exercício de avaliação de desempenho que possa ser lançado a uma ou duas grandes organizações ou empresas de Macau, por assim dizer. O que eu gostaria de ver, na verdade, é que este é um tempo em que as pessoas se devem unir e acreditar que Macau é resiliente e acreditar também que este não é um tempo para criticar simplesmente mas, ao invés, de revelar o melhor que há em nós, especialmente a nossa compaixão e capacidade de compreensão”, acrescenta. 

 

André Jegundo