Em destaque

17 de Novembro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5413 patacas e 1.1806 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Sexta-feira)
Sexta, 01/09/2017

O início do ano lectivo, ainda a passagem do tufão Hato e os 150 anos do nascimento de Camilo Pessanha são alguns dos temas em destaque na imprensa local. 

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O Ou Mun destaca esta sexta-feira a isenção para o imposto automóvel. Quem ficou sem carro devido ao tufão Hato vai ter reembolso do imposto nos automóveis e motos que ficaram inviabilizados. Se comprarem um veículo movido a energias renováveis o imposto é a 100 por cento.

 

O jornal Va Kio dá conta dos apelos a Pequim por causa dos rumores. O ministro da Segurança da China pede às pessoas para não espalharem ou criarem rumores. O rumor sobre o Exército de Libertação Popular da China chegou aos Estados Unidos.

 

Ou Mun Tin Toi

A Ou Mun Tin Toi tem dedicado a manhã informativa ao início do ano lectivo. Esta manhã, a rádio esteve na rua para verificar como fluía o trânsito na cidade, verificando-se cerca das 8 da manhã engarrafamentos na Horta e Costa. Nas Portas do Cerco, e ainda por causa do tufão, dezenas de rotas foram direccionadas para outras paragens. Esta manhã funcionários das três operadoras de autocarros ajudaram a encaminhar os passageiros.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Hoje Macau publica uma imagem de Camilo Pessanha, a propósito dos 150 anos do nascimento do poeta português. “Eu vi a luz” é o grande título. Em foco ainda uma entrevista a António Falcão, fotógrafo e escritor que apresenta uma exposição no território.

 

“Centro de sinistrados remodelado em 2019” titula o Jornal Tribuna de Macau. As obras devem começar já no próximo ano. As instalações, que durante o tufão acolheram cerca de 200 pessoas, “não conseguem suportar as necessidades e são obsoletas”, salienta o vice-presidente do Instituto de Acção Social. O jornal publica ainda uma entrevista a Albert Chu – “Os pioneiros do cinema local”, lê-se na primeira.

 

O Clarim está hoje nas bancas com uma edição especial sobre o tufão Hato. O jornal, que interrompe as férias para esta edição, publica uma imagem de um edifício alagado e titula “Calamidade gera solidariedade”. 

 

“Recuperar do Hato” titula o Plataforma. O semanário conta que a passagem do tufão trouxe críticas à actuação das autoridades. No topo da página lê-se “BRICS em desencaixe”: o grande bloco composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul reúne-se em Xiamen, num período de crescentes tensões entre Pequim e Nova Deli. 

 

O Ponto Final escreve “Novo Macau pede ‘responsabilização de Chui [Sai On ]’”. Em causa as consequências do tufão Hato, que matou dez pessoas e causou prejuízos avultados. Em destaque ainda os 150 anos do nascimento de Camilo Pessanha – “Pessanha revisitado”, lê-se na primeira do Ponto Final.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

“Bem-vindo” escreve o Business Daily. Termina amanhã a suspensão das viagens de grupo turísticos a Macau. Esta sexta-feira, o jornal aborda ainda o desempenho no sector VIP do grupo Galaxy.

 

Em foco no Macau Daily Times a recusa de entrada de cidadãos de Hong Kong. O jornal fala de “persona non grata”. Jornalistas e deputados estão entre os grupos de pessoas impedidas de entrar. Em foco ainda a página que Jason Chao lança com declarações dos candidatos às eleições para a Assembleia Legislativa.

 

O Macau Post Daily conta que um grupo abandona a corrida às eleições para a Assembleia Legislativa. Trata-se da lista número cinco, “Cor-de-rosa Amar a População”. O grupo diz que desiste para ajudar as vítimas do tufão Hato.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

Na primeira do China Daily estão o presidente chinês e o homólogo do Tajiquistão. Os dois países assinaram 13 documentos para fomentar a cooperação, nas áreas como a agricultura, finanças, energia e infraestruturas. Ainda em foco o Congresso do Partido Comunista agendado para 18 de Outubro.

 

A data da reunião do Congresso do Partido Comunista chinês é também o tema em destaque no South China Morning Post. Em foco ainda os preços das segundas casas que cresceram ao ritmo mais baixo dos últimos 16 meses. Já se fala em descontos para impulsionar as compras.

 

O Standard fala do terceiro tufão a atingir a região. O jornal conta que Macau foi mais rápido do que Hong Kong a içar o alerta de tempestade.

 

Marta Melo