Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Ng Lap Seng culpado de todos os crimes
Sexta, 28/07/2017

O tribunal de Manhattan considerou o empresário Ng Lap Seng culpado dos crimes de corrupção, conspiração e lavagem de dinheiro. Em causa o pagamento de subornos a antigos altos dirigentes das nações unidas, para a construção de um centro de conferências da ONU em Macau.

 

A justiça norte americana deu como provado que o empresário de Macau pagou mais de 500 mil dólares a John Ashe, quando o diplomata de Antígua e Barbuda era presidente da Assembleia-Geral das Nações Unidas, e também a Francis Lorenzo, antigo embaixador da República Dominicana junto da ONU.

 

Ng Lap Seng negou sempre as acusações, alegando que está a ser alvo de “manobras geopolíticas” por parte dos Estados Unidos, de modo a travar a influência da China nos países em desenvolvimento.

 

Ng Lap Seng estava em prisão domiciliária desde Setembro de 2015, num apartamento em Manhattan, sujeito a vigilância permanente.  

 

Agora, numa deliberação que levou menos de um dia, o júri considerou Ng Lap Seng culpado dos crimes.

 

No dia 7 de Agosto haverá uma nova sessão em que serão apresentados argumentos orais - o juiz decidiu manter a prisão domiciliária e não enviar Ng Lap Seng já para a prisão, como pediu a acusação.

 

A defesa de Ng Lap Seng, que não falou aos jornalistas no final do julgamento, disse ao juiz que tenciona recorrer do veredicto que considerou Ng culpado de todos os seis crimes de que era acusado, incluindo conspiração, suborno e branqueamento de capitais.

 

John Ashe, uma das sete pessoas acusadas no âmbito deste caso, morreu em Junho do ano passado, em casa, num acidente com o levantamento de pesos. Já Francis Lorenzo admitiu ser culpado de ter recebido subornos e ainda de ter incorrido no crime de branqueamento de capitais, tendo concordado cooperar com a investigação. Outros três arguidos também se declararam culpados.

 

 

João Picanço