Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Primeiro relatório sobre futuro da aviação em Setembro
Terça, 25/07/2017

O relatório sobre o futuro da aviação civil, encomendado a uma consultora internacional, vai ser concluído em Setembro. No entanto, os resultados não vão ser tornados públicos, uma vez que estão previstos mais estudos.

 

Até ao final do mês, a Autoridade de Aviação Civil deve receber um relatório intercalar. “O estudo actual passa por ver diferentes possibilidades, prós e contras. Contratámos uma empresa internacional de consultoria. Está a estudar a parte económica. Depois, o Governo vai fazer estudos com base nestes dados e tendo em conta os factores locais. Esperamos ter uma política apropriada para a aviação de Macau”, indicou o presidente da entidade reguladora, Simon Chan, à margem da cerimónia de inauguração do voo da Capital Airlines entre o território e Pequim.

 

A concessão da Air Macau, que termina em 2020, será um dos temas em debate. Apesar de ter uma posição privilegiada, a companhia pode enfrentar os desafios da liberalização do mercado. Simon Chan não confirma, mas recorda que a aviação civil é um sector complexo.

 

“Em primeiro lugar, estudamos a situação económica. Antes de definirmos qualquer política, temos de ter um equilíbrio porque estamos a falar de um grande investimento. A segurança é uma questão muito importante. Por isso, temos de encontrar um equilíbrio razoável entre investimento e estabilidade da operação. Uma companhia aérea não é um supermercado, que pode ser aberto e fechado em qualquer altura”, explicou.

 

No último fim-de-semana, o South China Morning Post adiantou que Pansy Ho está interessada em recuperar a ideia de ter uma companhia aérea low-cost com bandeira de Macau. A primeira tentativa da empresária tem mais de dez anos. Posteriormente, tentou erguer a Jetstar Hong Kong, em colaboração com a Qantas e a China Eastern, mas o negócio não foi concluído por questões regulamentares da região vizinha, em 2015.

 

Pedro Galinha