Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

FIMM concentra-se na música clássica e nos talentos locais
Terça, 25/07/2017

A música clássica e os artistas de Macau dominam o programa do 31º Festival Internacional de Música de Macau, que, depois da festa do trigésimo aniversário, no ano passado, viu o orçamento reduzido em 21 por cento, de 38 milhões de patacas para 30 milhões.

 

Para fazer jus ao tema deste ano, “Estrelas em Ascensão”, a prata da casa aparece em destaque no programa que inclui 17 espectáculos e 20 actuações, entre 29 de Setembro e 30 de Outubro.

 

Há artistas de todo o mundo, mas a organização apostou em “talentos da terra”, que, à semelhança do ano passado, voltam a levar ao palco uma ópera, desta feita, “Um Sonho Perfumado”, no Centro Cultural de Macau, no dia 14 de Outubro.

 

Há também um ciclo de concertos de músicos de Macau, com o violinista Lo Cheng Io, a pianista Suiong Wong, a harpista Leong Cheok Wun e o violoncelista Ho Chun.

 

Mas a grande abertura do festival, no dia 29 de Setembro, está reservada para a ópera Andrea Chénier, da Filarmónica de Viena, que comemora os 150 anos do compositor Umberto Giordano.

 

No programa destacam-se, ainda, aquelas que a organização chama de “novas promissoras estrelas internacionais”. É o caso do pianista russo Lukas Geniusas, que traz a música de Chopin, Ravel e Prokofiev. Actua no Centro Cultural, no dia 27.

 

Outro dos novos nomes promissores é o japonês Masayoshi Fujita, compositor e vibrafonista radicado na Alemanha, onde é mais conhecido como “el fog”— espectáculo no edifício do Antigo Tribunal, no dia 13 de Outubro.

 

De Portugal vem o Quarteto de Cordas de Guimarães, com a música clássica e erudita de Mozart , Philip Glass ou do português Luís de Freitas Branco. Concerto agendado para o dia 28 de Outubro, no Teatro Dom Pedro V.

 

No dia seguinte, na Fortaleza do Monte, é a vez do jazz subir ao palco com Jazzmeia Horn, a vencedora da edição de 2015 da Thelonius Monk International Vocal Jazz Competition.

 

Outro dos pontos altos do festival, também na Fortaleza do Monte, será a ópera ao ar livre “Orfeu e Eurídice”, uma versão do século 18 da tragédia grega, para ver no fim-de-semana de 21 e 22 de Outubro.

 

Os bilhetes são postos à venda no dia 6 de Agosto.

 

Hugo Pinto