Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Ho Chio Meng foi condenado a 21 anos de prisão
Sexta, 14/07/2017

O antigo Procurador foi condenado a 21 anos de prisão por vários tipos de crime: burla qualificada de valor considerado elevado, burla qualificada de valor consideravelmente elevado, peculato e peculato de uso, associação criminosa, burla simples, participação económica em negócio, branqueamento de capitais, inexactidão de declaração de rendimentos, riqueza injustificada e destruição de objectos colocados sob o poder público.

 

Ho Chio Meng chegou a este julgamento acusado de mais de 1500 crimes. O Tribunal de Última Instância considerou que, depois de análise de uma forma prudente das provas e dos testemunhos, “grande parte dos factos correspondem à verdade”.

 

O tribunal condena ainda Ho Chio Meng “a pagar sozinho ao Gabinete do Procurador 18,36 milhões de patacas”. Terá ainda de “sozinho ou solidariamente” com outros arguidos, caso venham a ser condenados, mais de 57 milhões de patacas.

 

São declarados “perdidos a favor da Região Administrativa Especial de Macau os benefícios ilegais no montante de 1,18 milhões de patacas”, bem como mais de 12 milhões de patacas respeitantes a “património possuído pelo arguido e pela sua esposa”, ela também arguida no processo conexo. É declarado ainda a favor da RAEM “o dinheiro apreendido nos autos no montante de 331 mil dólares de Hong Kong”.

 

No fim da juíza Song Man Lei ter lido o acórdão, Ho Chio Meng pediu a palavra, mas não lhe foi permitido falar. O antigo Procurador foi retirado da sala, gritando que está inocente e que não recebeu nenhum dinheiro. Ho Chio Meng afirmou que quer recorrer da decisão.

 

Marta Melo