Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Sequestros ligados ao jogo crescem 12% entre Janeiro e Maio
Quarta, 12/07/2017

O número de sequestros ligados à agiotagem para o jogo aumentou 12 por cento nos primeiros cinco meses do ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os números foram divulgados hoje pela Polícia Judiciária (PJ), que entende que a criminalidade relacionada com o jogo continua a ser “grave”.

 

Num documento divulgado por ocasião de mais um “Dia da Polícia Judiciária”, a corporação informa que, entre Janeiro e Maio, investigou 189 casos de sequestro associado à agiotagem para o jogo – mais vinte do que nos primeiros cinco meses de 2016. O aumento levou a força policial a intensificar o policiamento, segundo o director da PJ, Chau Wai Kuong.

 

“Apesar da indústria do jogo ter começado a estabilizar na segunda metade do ano passado, a situação do crime relacionado com o jogo mantém-se grave”, afirmou Chau Wai Kuong, na Cerimónia de Entrega de Prémios do “Dia da Polícia Judiciária 2017”.

 

O policiamento foi reforçado, garantiu o director, ressalvando que, para já, “não há indícios de que o crime tenha um grande impacto na segurança da comunidade”. Ainda assim, assegurou, a PJ está atenta.

 

De acordo com as estatísticas apresentadas esta quarta-feira, a subir nos primeiros cinco meses do ano esteve também o número de casos de associação criminosa processados pela PJ: foram 16, o dobro dos registados no período homólogo.

 

O número de casos de fogo posto também subiu em termos anuais – de quatro para 24 –, e houve mais um roubo do que nos primeiros cinco meses do ano passado. De resto, todos os outros crimes listados pela PJ como “mais relevantes” registaram números inferiores ou idênticos aos do período entre Janeiro e Maio de 2016.

 

No documento, há ainda referência a outros crimes que requerem “especial atenção”. Neste grupo está um caso de tráfico de pessoas – no período homólogo tinham sido analisados dois casos deste tipo – e seis casos de violência doméstica, ao abrigo da lei que entrou em vigor em Outubro do ano passado.

 

Contas feitas, em termos globais, a PJ instaurou mais de 5.217 processos nos primeiros cinco meses do ano – destes, 4.557 foram concluídos.

 

Sofia Jesus