Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Governo incentiva visita a novo apoio instalado no IPOR
Quarta, 05/07/2017

O Gabinete de Apoio ao Ensino Superior (GAES) “vai passar a incentivar” a visita ao Balcão do Estudante Internacional, que funciona, a partir de hoje, no Instituto Português do Oriente (IPOR). O serviço tem como objectivo apoiar os alunos do secundário que estão interessados em prosseguir os estudos em Portugal.

 

O coordenador do GAES, Sou Chio Fai, afirma que “fazer um curso superior ou de língua portuguesa, em Portugal, tornou-se cada vez mais popular em Macau”. O responsável descreve o Balcão do Estudante Internacional como “uma boa ideia, uma inovação”.

 

O número de estudantes locais, sem nacionalidade portuguesa, que estudam em instituições de ensino superior de Portugal tem vindo a aumentar. De acordo com informações avançadas pelo director do IPOR, João Laurentino Neves, o Consulado-Geral de Portugal emitiu cerca de 400 vistos de estudo, em 2016, e mais de 200, este ano.

 

O Balcão do Estudante Internacional assume-se como uma resposta a esta realidade. “[Vamos] apoiar o estudante para que parta bem informado sobre aquilo que vai encontrar”, nota João Laurentino Neves.

 

“As universidades estão a exigir, e fazem-no compreensivelmente, que os estudantes do 1.º  e do 2.º ciclos sejam detentores de nível de língua, nomeadamente B2. Coloca-se a possibilidade de irem e fazerem o chamado ‘ano zero’, em Portugal. Um ano de adaptação à língua portuguesa para que, depois, possam ingressar nas matérias no âmbito do ciclo de estudos que escolheram. O que estamos também a trabalhar com as universidades de Portugal é que parte dessa formação possa ser feita, aqui, no IPOR”, explica o director da instituição.

 

O serviço de aconselhamento vai estar em funcionamento durante todo o ano. João Laurentino Neves explica que as famílias chinesas preparam com muita antecedência o futuro dos filhos.

 

“É muito engraçado porque em sessões [organizadas, normalmente, em Fevereiro, no GAES], que estão sempre cheias, temos pessoas cujos filhos têm 14 e 15 anos e que estão a projectar a ida para uma instituição de ensino superior em Portugal e querem já saber como é que é, quanto custa, quanto tempo dura, quais são as cidades, quais são os melhores cursos”, exemplifica.

 

O novo serviço resulta de uma parceria entre o IPOR, o GAES, o Consulado-Geral de Portugal e universidades portuguesas. A ideia surgiu depois de ter sido criado o Estatuto de Estudante Internacional, que permite a alunos estrangeiros entrarem nas instituições de ensino superior de Portugal através de um contingente especial.

 

Pedro Galinha