Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 25/05/2017

O homicídio de uma jovem estudante do Instituto Politécnico de Macau resolvido 11 anos depois e as discrepâncias entre as versões portuguesa e chinesa da Lei Eleitoral dominam a imprensa local.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun destaca o caso de homicídio resolvido 11 anos depois. Ontem, a Polícia Judiciária (PJ) anunciou que, em cooperação com as autoridades do Continente, encontraram dois suspeitos da morte de uma jovem estudante do Instituto Politécnico de Macau. Os suspeitos confessaram o crime.

 

O Va Kio também refere este caso, que remonta a Abril de 2006. A jovem assassinada era proveniente da província de Zhejiang. Familiares da vítima estiveram, ontem, em Macau, tendo agradecido o trabalho da PJ.

 

Ou Mun Tin Toi

 

A estação de rádio Ou Mun Tin Toi tem centrado atenções na apresentação do 8.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas. O evento começa na próxima semana. Pela primeira vez, os oito países de língua portuguesa vão estar representados.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau adianta que a Universidade da Cidade de Macau “avança para cursos sobre países lusófonos”. Os 20 anos do Grupo de Escuteiros Lusófonos de Macau completam os principais destaques do dia.

 

O Hoje Macau titula “descubra as diferenças”, numa referência às discrepâncias entre as versões portuguesa e chinesa da Lei Eleitoral. O diploma só pode ser alterado depois das eleições legislativas de Setembro. A apresentação da segunda edição da iniciativa “Junho, mês de Portugal” aparece nas parangonas como uma “afirmação lusitana”.

 

O Ponto Final escreve “o peso das divergências” para dar conta das diferenças detectadas na Lei Eleitoral. O jornal assinala ainda o encerramento do Festival de Artes de Macau, com a “versão transfigurada” de “A Gaivota” de Anton Tchekhov.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily escolhe o consumo para principal tema. O Governo anunciou incentivos para tirar alguns motociclos de circulação, o que provocou um aumento da compra de novos veículos. “Marcha atrás” foi o título escolhido para ilustrar estes dados referentes ao primeiro trimestre do ano.

 

O Macau Daily Times faz manchete com a cidade Filipina no Mindanao que está nas mãos de militantes islâmicos. Na edição desta quinta-feira é ainda publicada uma entrevista ao médico José Peres de Sousa.

 

O Macau Post Daily preenche grande parte da primeira página com a detenção dos dois suspeitos da morte da estudante de Zhejiang, em 2006.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily faz manchete com “reformas na Marinha têm como objectivo a força e a modernidade”. Ontem, o presidente chinês, Xi Jinping, visitou uma base naval, em Pequim. O jornal oficial também faz eco das declarações do presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional, Zhang Dejiang, sobre Hong Kong. O número três da hierarquia chinesa defende que a população da região vizinha deve se focar na “melhoria das condições de vida” e garantir que “não fica dividida por questões políticas”.

 

O South China Morning Post tem como destaque fotográfico o avião da China Eastern Airlines, que saiu de pista, ontem, no aeroporto de Hong Kong. O aparelho levava 141 pessoas a bordo. Este incidente foi provocado pelas chuvas fortes. Na primeira página, o diário também olha para o anúncio da Comissão Independente Contra a Corrupção sobre os funcionários do Governo alegadamente envolvidos no escândalo da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau. Todos foram ilibidos de qualquer responsabilidade na falsificação de testes laboratoriais sobre a qualidade dos materiais utilizados na construção.

 

O Standard traz o alerta de viagens para o Reino Unido, emitido pelas autoridades de Hong Kong. Este aviso surge sequência do atentado de Manchester, registado na última segunda-feira.