Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Chui Sai On “muito triste” com caso do Instituto Cultural
Sábado, 13/05/2017

Chui Sai On diz-se “muito triste” com o caso das contratações irregulares de pessoal no Instituto Cultural.

 

O Chefe do Executivo disse aos jornalistas que, agora, o objectivo é evitar novos casos semelhantes e que, para isso, é preciso apurar responsabilidades e levar a cabo mudanças: “Estou muito triste. Nós temos de ter a responsabilidade de fazer bem. O facto de um serviço ter feito isso ao longo de tantos anos sem ninguém descobrir deve levar a que sejam feitas algumas mudanças. É preciso identificar onde surgiu o problema. O Governo também tem de assumir uma responsabilidade e vou falar com o secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, Alexis Tam, para ver como é que nós podemos evitar que haja mais serviços com este problema”.

 

Guilherme Ung Vai Meng, antigo presidente do Instituto Cultural, bem como o actual presidente, Leung Hio Ming e Chan Peng Fai, vice-presidente, são alvo de um processo disciplinar.

 

Em causa está o relatório do Comissariado Contra a Corrupção sobre o recrutamento de trabalhadores em regime de aquisição de serviços no Instituto Cultural.

 

Nas declarações que fez hoje aos jornalistas à partida para Pequim, o Chefe do Executivo falou também sobre o mercado imobiliário.

 

Estão em vigor desde 5 de Maio cortes nos rácios para a concessão de empréstimos para a habitação, medidas que só se aplicam a quem já for proprietário de uma casa.

 

Chui Sai On disse que o Governo vai dar atenção à evolução do mercado: “Obviamente que iremos continuar a prestar muita atenção, olhando o mercado e recolhendo opiniões para analisar. Por outro lado, iremos também observar cautelosamente o mercado imobiliário e financeiro”.

 

Chui Sai On foi convidado a participar, em Pequim, no Fórum “Uma Faixa, Uma Rota” para Cooperação Internacional.

 

Líderes de 28 países e territórios reúnem-se entre amanhã e segunda-feira para conhecer melhor os planos internacionais de Pequim na construção de infra-estruturas.

 

Chui Sai On considera que Macau também pode tirar proveitos: “Com esta participação nós podemos saber mais sobre esta medida e aproveitar o plano para desenvolver Macau”.