Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Zhang Dejiang “muito satisfeito” após visita a Macau
Quarta, 10/05/2017

O presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional (APN), Zhang Dejiang, concluiu, esta manhã, a visita a Macau. O número três da hierarquia chinesa afirmou estar “muito satisfeito” com o que viu no território. “A viagem foi um sucesso”, descreveu, numa breve declaração.

 

Zhang Dejiang chegou ao Aeroporto Internacional de Macau acompanhado pelo Chefe do Executivo, Chui Sai On. À espera tinham a banda do Corpo de Polícia de Segurança Pública e um grupo de 220 crianças, que desejou que o responsável chinês regresse, de forma rápida, a Macau. Os principais titulares de cargos públicos também marcaram presença.

 

Já sem o presidente do Comité Permanente da APN no território, coube ao director do Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau, Wang Zhimin, fazer um balanço mais completo da viagem. “As perspectivas para Macau são óptimas”, afirmou o representante de Pequim.

 

“[Zheng Dejiang] fez um esforço de tentar ouvir o máximo a população, encontrou-se com os órgãos legislativos e judiciais. Teve encontros com personalidades de Macau e também visitou algumas instalações sociais, as Casas Museu da Taipa e viu a construção da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau”, enumerou Wang Zhimin, realçando que a visita durou cerca de 48 horas.

 

Apesar de o tom da mensagem ter sido positivo, houve espaço para alguns recados. “É importante elevar a qualidade da governação e também evitar alguma separação da sociedade. A reforma administrativa é importante, para termos um executivo de alta integridade e capacidade governativa. O conceito nacional também é um facto importante”, disse Wang Zhimin, em nome de Zhang Dejiang.

 

“Amar a pátria” foi a expressão mais ouvida no balanço do director do Gabinete de Ligação do Governo Central em Macau. O respeito pelo princípio “um país, dois sistemas” também foi repetido inúmeras vezes.

 

“Têm de continuar a aproveitar os dois sistemas e ter em consideração o princípio de um país. A implementação da Lei Básica é uma questão muito importante, assim como a defesa da segurança nacional”, indicou Wang Zhimin.

 

O discurso direccionou-se ainda para o “papel activo” que Macau deve ter em algumas áreas, como a iniciativa “Uma faixa, uma rota” e o projecto da “Grande Baía do Sul”, que junta o território, Hong Kong e 19 cidades do Continente.

 

Wang Zhimin referiu também que o território deve “consolidar” o papel de plataforma com os países de língua portuguesa. A gestão e utilização das águas sob jurisdição de Macau é outro desafio futuro.