Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (terça-feira)
Terça, 09/05/2017

A visita de Zhang Dejiang a Macau está em grande destaque praticamente em todas as publicações. E nem Hong Kong foge à tendência.

 

Imprensa de Macau em língua chinesa

A imprensa chinesa de Macau continua a dar amplo destaque à visita de Zhang Dejiang. A chegada do presidente da APN merece manchete em todos os jornais em língua chinesa da região.

 

Ou Mun Tin Toi

A estação de rádio em língua chinesa da TDM destaca o desmentir por parte da polícia do rumor de que a Ponte Sai Van iria estar fechada no dia de hoje. Apesar de um possível maior controlo do tráfego, a ponte continuará a funcionar.

 

Imprensa de Macau em língua portuguesa

O Hoje Macau abre com a entrevista a Kwan Tsui Hang. "Preços do imobiliário estão fora de controlo", diz a deputada.

 

O Jornal Tribuna de Macau destaca a chegada de Zhang Dejiang, que pediu união de esforços e um "arregaçar das mangas."

 

O Ponto Final também opta por colocar o líder da APN em plano de destaque, com uma foto do mesmo a cumprimentar Chui Sai On. Nota também para a frente unida contra o jogo ilegal de Pequim-Manila.

 

Imprensa de Macau em língua inglesa

No Macau Post Daily encontramos as palavras de incentivo do presidente da APN em plano de destaque.

 

O Macau Daily Times tem uma foto de Zhang Dejiang, mas dá também destaque aos novos reconhecedores faciais nas caixas de multibanco.

 

Sem fugir ao principal assunto do dia, o Business Daily conta com Zhang Dejiang e as palavras de incentivo para os habitantes de Macau.

 

Imprensa de Hong Kong em língua inglesa 

South China Morning Post destaca a visita de Zhang Dejiang a Macau. O president da APN pediu união de todos os sectores para um futuro próspero.

 

O China Daily coloca Zhang Dejiang junto de Chui Sai On à chegada a Macau. Palavras de motivação para o território foi o que deixou.

 

O Standard abre com a banda britânica que se preparava para um concerto em Hong Kong e viu-se impedida de tocar, pois não tinha visto. O promotor do espectáculo foi detido.