Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Alunos “muito satisfeitos” representam 16,5 por cento
Quarta, 19/04/2017

Apenas 16,5 por cento dos alunos de Macau estão “muito satisfeitos” com a vida que têm, enquanto a média da OCDE se fixa em 34,1 por cento. A conclusão faz parte de um relatório divulgado, hoje, em Paris.

 

Entre os principais resultados destaca-se ainda a média global de estudantes que dizem que sofreram bullying, algumas vezes, ao longo de um mês: 18,7 por cento. No entanto, em Macau, o valor dispara para 27,3 por cento. A bater o território nesta lista estão apenas cinco países e regiões: Hong Kong (32,3 por cento), Letónia (30,6 por cento), República Dominicana (30,1 por cento), Tunísia (28,2 por cento) e Rússia (27,5 por cento).

 

Outro segmento em que Macau está acima da média é na ansiedade que os alunos sentem, mesmo quando estão preparados. No geral da OCDE, a percentagem é de 55,5 por cento, ao passo que no território regista 65,6 por cento.

 

Sobre os estudantes que ficam muito tensos quando estudam, Macau também supera a média. No total, 58,5 por cento respondem afirmativamente. A média da OCDE é de 36,6 por cento.

 

De acordo com o estudo, os adolescentes que se sentem parte da comunidade escolar e têm uma boa relação com os pais apresentam melhores resultados e consideram ter uma vida mais feliz. No caso do sentimento de pertença, Macau regista 59,9 por cento. Mas a média de referência é mais elevada: 73 por cento. A comunicação com os pais, depois das aulas, também é menor no território.

 

No relatório lê-se ainda que 46,7 por cento dos alunos locais querem completar um curso superior. A média global da OCDE é mais baixa: 44,2 por cento.

 

O estudo teve como amostra 540 mil estudantes com 15 anos, de 72 países e regiões, que participaram no último Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA).