Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quarta-feira)
Quarta, 12/04/2017

A aprovação e discussão da proposta de lei sobre o regime jurídico da troca de informações em matéria fiscal pela Assembleia Legislativa é um tema em destaque nas primeiras páginas dos jornais locais. Em Hong Kong, os diários viram atenções para Pequim, onde Carrie Lam foi recebida pelo presidente Xi Jinping.

                                                                   

Jornais de Macau em língua chinesa

 

No Ou Mun está em destaque Ho Ion Sang. O deputado alertou o Governo para a necessidade de criar espaços de restauração nas instalações do futuro metro no sentido de colmatar um pouco as despesas.

 

O Va Kio também vira atenções para o plenário da Assembleia Legislativa, mas foca a aprovação na generalidade do regime jurídico da troca de informações em matéria fiscal. Um regime que o secretário para a Economia e Finanças, Lionel Leong, classificou de “importante e urgente”.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM diz que a Comissão de Assuntos Eleitorais da Assembleia Legislativa vai exigir que os veículos de campanha limitem o ruído aos 85 decibéis.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Números para a troca” titula o Hoje Macau sobre ter sido ontem aprovado na Assembleia Legislativa o regime jurídico da troca de informações em matéria fiscal. Perante as dúvidas de alguns deputados, o Governo assegurou que o diploma abrange apenas os cidadãos estrangeiros com contas bancárias em Macau. “Metro Ligeiro - Mais uma derrapagem”, lê-se ainda numa das chamadas de capa.

 

Em manchete o Jornal Tribuna de Macau sublinha que “Lucro das operadoras de jogo ultrapassou saldo público”. A contabilidade conjunta assinala uma subida de 6 por cento nos ganhos operacionais e lucros líquidos próximos dos 24,7 mil milhões de patacas, montante similar ao de 2015. O destaque fotográfico do JTM remete para uma reportagem sobre o “‘Gengibre local’ ao serviço da arte”.

 

O Ponto Final escreve em manchete “Português detido após fingir ser agente da PSP para poupar 400 patacas”. O jornal acrescenta que o homem tem 50 anos, chama-se Manuel, e é funcionário da Direcção dos Serviços Correccionais. Noutro destaque de primeira, o matutino da conta da inauguração da exposição Iluminação Artificial, de Anabela Canas.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

A manchete do Business Daily dá conta que o mercado da aviação de Macau, dedicado ao sector dos negócios, tem apenas 78 aeronaves, de um total de 1155 aviões privados na Ásia-Pacífico. Numa das chamadas, o diário económico refere ainda que a McDonalds vai abrir mais três restaurantes em Macau, durante este ano.

 

O Macau Daily Times diz que, com a plataforma de monitorização das eleições, “Jason Chao arrisca-se a ser alvo da ira do Governo – outra vez”. Em rodapé, este diário dá conta das conclusões de um relatório da Amnistia Internacional que refere que “Execuções na China ultrapassaram o ritmo dos outros países do mundo, apesar do decréscimo”.

 

O Macau Post Daily titula que “Compradores do Pearl Horizon querem um calendário para reembolsos”. Perto de quarenta compradores reuniram-se ontem com representantes da Polytec para exigirem à construtora a definição de um calendário para a devolução do dinheiro que pagaram pelas habitações que não foram construídas.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

No China Daily estão em foco as palavras do presidente Xi Jinping, num encontro com a próxima Chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam. “Xi afirma que o Governo Central dá total apoio a Lam”, lê-se em título.

 

O South China Morning Post coloca também em grande plano o encontro, em Pequim, do presidente chinês com a Chefe do Executivo eleita: “Xi relembra Lam da necessidade de resolver os conflitos de Hong Kong”.

 

A manchete do Standard diz “colmatada lacuna no imobiliário”. Hong Kong vai cobrar um imposto de selo de 15 por cento a quem comprar habitação pela primeira vez, de forma a dissuadir a aquisição de múltiplos imóveis com apenas um documento.