Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Hong Kong quer continuar venda de aves vivas
Segunda, 03/04/2017

Hong Kong tem luz verde para continuar com a venda de aves vivas em mercados. A comissão consultiva do Governo da região concluiu que as medidas levadas a cabo para a prevenção da gripe aviária são suficientes e pedem a continuidade do comércio das aves.

 

Os constantes surtos de gripe aviária da China continental preocupam Hong Kong, mas não o suficiente para o fim da venda de aves vivas nos mercados. A comissão consultiva do Governo local concluiu que a comercialização pode continuar e explica que a decisão muito se deve às “medidas efectivas do Governo para o combate aos surtos”.

 

A comissão disse também que os próprios consumidores preferem “maioritariamente aves vivas a congeladas”.

 

Ainda assim, a comissão aconselhou algumas novas medidas de prevenção e combate ao vírus, entre as quais um novo local para a venda das aves no mercado de Cheung Sha Wan. O Governo tem agora uma consulta pública sobre o tema aberta durante dois meses, antes da decisão final.

 

Em Macau o assunto também esteve em debate na sessão plenária da Assembleia Legislativa da passada quinta-feira. A ideia do Governo da região é acabar com a venda de aves vivas, mas reconhece que o assunto é mais delicado.

 

José Tavares, Presidente do Instituto dos Assuntos Cívicos e Municipais, sublinhou na mesma sessão que há cerca de 250 comerciantes dependentes deste negócio e será preciso estudar uma forma de recolocar as pessoas para outro sector de actividade.

 

A decisão sobre esta matéria também está ainda em discussão e uma decisão final vai ser anunciada ainda este mês.