Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Ho Chio Meng: Patrão da Polytec pode estar envolvido no caso
Quarta, 29/03/2017

Uma revelação da acusação levou, hoje, a que os ânimos ficassem exaltados no julgamento do ex-Procurador, no Tribunal de Última Instância. Or Wai Sheun, proprietário da Polytec, estará envolvido no caso, alegadamente por ter dado benefícios à esposa de Ho Chio Meng. A situação está relacionada com a compra de um apartamento e, segundo a acusação, poderá trazer consequências jurídicas muito graves.

 

Esta é mais uma reviravolta que se pode dizer inesperada no julgamento do ex-Procurador. O nome de Or Wai Sheun surgiu ligado ao caso, quando a acusação indicou que o responsável terá beneficiado indirectamente o ex-Procurador.

 

A história é complexa – em 2009, o empresário Mak Im Tai, também arguido no processo e a ser julgado no Tribunal Judicial de Base, terá falado directamente com o responsável da Polytec para comprar uma fracção no edifício Ville de Mer, na Areia Preta. Amigos há vários anos, como confirmou uma testemunha hoje no TUI, Or Wai Sheun deu um desconto de dois milhões de dólares de Hong Kong a Mak Im Tai. O caso foi tratado “com cuidado”, uma vez que a Polytec é uma empresa cotada na Bolsa. A casa acaba, contudo, por ser transferida para a esposa de Ho Chio Meng, Chao Shio Fu, que responde também no TJB.  

 

Ho Chio Meng, que diz que a casa era para o pai, admite que foi a mulher quem fez a compra porque o ex-Procurador “não queria o seu nome envolvido, por ser conhecido da sociedade”.

 

O problema começa quando a Polytec passa quatro recibos à esposa de Ho Chio Meng, que atestam que a mulher pagou os dois milhões descontados do preço total do apartamento. A acusação diz que os documentos são “falsos” e as testemunhas admitiram que Chao Shiu Fu não pagou absolutamente nada. Como informação do desconto não poderia sair cá para fora, é Or Wai Sheun quem paga à sua própria empresa esse valor, com dinheiro alegadamente “do seu próprio bolso” e através de outra empresa que detém.

 

Uma administradora da Polytec confirmou que foi Or Wai Sheun quem deu ordens para que Chao Shio Fu fosse beneficiada e para que o pagamento dos dois milhões fosse feito pela empresa dele para que a Polytec não tivesse prejuízos na bolsa.

 

Ho Chio Meng e a mulher foram, segundo a acusação, beneficiados – a troco de quê ainda não se sabe. O Procurador-adjunto que representa a acusação estava visivelmente exaltado com a falta de respostas das testemunhas – é que falta perceber porque é que o dono da Polytec pagou a diferença e sob que condições.

 

O MP assegura que mais testemunhas vão ser ouvidas sobre este caso, até porque a administradora ouvida em tribunal confirmou que “todos (os funcionários) sabiam que a mulher de Ho Chio Meng não pagou dinheiro nenhum e passaram-lhe na mesma recibos como se tivesse pago”.

 

O MP acusa ainda a empresa de ter falsificado documentos e de o esconder do Comissariado contra a Corrupção, já que quando foi pedido no ano passado que explicasse as razões que levaram Or Wai Sheun a “beneficiar o ex-Procurador, a empresa omitiu estes detalhes, limitando-se a dizer que os documentos se extraviaram”. Os recibos hoje apresentados em tribunal foram apreendidos na residência de Ho Chio Meng.

 

Esta prática não aconteceu pela primeira vez, o que leva o MP a acusar a empresa – que está também envolvida num caso judicial relativamente ao complexo Pearl Horizon – de estar a enganar os outros accionistas. Tanto o tribunal, como a acusacão disseram por várias vezes que o caso “poderá ter consquências jurídicas muito graves”.