Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Ho Sio Kam apela à participação das mulheres na política
Quarta, 18/01/2012
A deputada Ho Sio Kam quer que o Governo implemente medidas de estímulo à participação das mulheres na vida política. “Embora as mulheres de Macau saibam que têm de se impor e até tenham vontade de desempenhar um papel mais activo na sociedade e de ocupar cargos de chefia, há ainda falta de autoconfiança e de reconhecimento sobre a sua própria capacidade de trabalho. Quer isto dizer que existe, de facto, uma grande margem de melhoramento quanto ao nível de participação política da mulher em Macau”, disse.

Na sua intervenção no período antes da ordem do dia, a deputada citou ainda estatísticas que apontam para uma significativa diferença salarial entre homens e mulheres, que tende a aumentar anualmente. Além de ganharem mais, os homens também são promovidos com maior facilidade, referiu Ho Sio Kam.

Já Angela Leong atacou os serviços de internet. Apesar dos trabalhos que o Governo iniciou para se chegar à liberalização total do sector no próximo ano, a deputada chama a atenção para a lentidão destes serviços, sobretudo, de “upload”. Angela Leong sublinhou que, nem por isso, estes serviços são acessíveis financeiramente, dando o exemplo da banda larga de Hong Kong que é 10 vezes mais barata que a de Macau. Para a deputada, esta situação, afecta “a diversificação económica” e a “capacidade concorrencial” do território.

Por seu turno, Ung Choi Kun falou da máquina administrativa. O deputado considera que o número de funcionários públicos esta a crescer “rapidamente”. No entanto, defende que a classe “seja melhor acarinhada”.

Os deputados da Associação Novo Macau aproveitaram, este período, para insistir numa reforma política que tenha o sufrágio universal no horizonte. A par deste, falou-se de um outro tema recorrente: a habitação pública. Vários deputados voltaram a sublinhar a necessidade de medidas mais adequadas para a habitação económica. Além disso, Ho Ion Sang destacou que com a pressa de concretizar as 19 mil fracções de habitação pública, o Governo tem consentido construções sem qualidade.