Em destaque

24 de Março: às 12h30, aos balcões do BNU, 1 Euro valia 8.6643 patacas e 1.0771 dólares.

Ho Chio Meng: Julgamento retomado com testemunhas da defesa
Segunda, 20/03/2017

Eram 9h53 quando os jornalistas foram avisados: em menos de dez minutos começava uma sessão do julgamento de Ho Chio Meng. Dia 29 foi a data inicialmente marcada para que o julgamento do ex-Procurador fosse retomado no Tribunal de Última Instância e a alteração repentina da data apanhou até o póprio Ho Chio Meng de surpresa, já que também ele, arguido neste processo onde responde por mais de 1500 crimes, chegou atrasado ao tribunal, vindo do Estabelecimento Prisional de Macau. 

 

Durante a manhã foram ouvidas duas testemunhas - o chefe do departamento anti-corrupção do Ministério Público de Guangdong e o membro de uma associação de promoção cultural, que tem sido mencionada durante o processo. 

 

Estes homens ficariam em hotéis e viajariam de avião com todas as despesas pagas pelo Ministério Público, diz a acusação. Questionados pela defesa, admitiram ter tido reuniões no território, incluindo com o ex-Chefe do Executivo Edmund Ho e assumiram que as despesas com actividades da associação eram pagas pela Procuradoria. Uma das testemunhas não conseguiu explicar se havia ligação directa entre estas actividades e o MP, dizendo apenas que falava “directamente com Ho Chio Meng, que por sua vez falava com Edmund Ho para lhe pedir para injectar fundos” nas actividades da associação.  

 

Foi ainda mostrada uma fotografia de Wang Xiandi, a mulher co-arguida no processo acusada de beneficar do erário público através de  contratos fictícios do MP. Os homens identificaram Wang como uma “assistente” de Ho Chio Meng. 

 

As testemunhas hoje ouvidas foram arroladas pela defesa. Vieram de Guangdong e Xangai para testemunhar, o que fez então com que o julgamento fosse hoje retomado, nove dias antes da data que estava marcada. Oriana Pun, advogada de Ho Chio Meng, explicou que as testemunhas estavam já notificadas para comparecer em tribunal neste dia. 

 

Também Ho Iok Fan, uma das irmãs de Ho Chio Meng, veio de Hong Kong para testemunhar: a mulher, que compareceu em tribunal com um terço na mão, assegurou que todos os irmãos mandavam dinheiro “mensalmente” para o pai e que era o ex-Procurador quem o guardava e quem sempre “mais tomou conta do pai”. 

 

A defesa tenta justitficar assim as quantias de dinheiro que estão na conta do ex –Procurador e que Ho Chio Meng já disse ser dinheiro do pai, que faleceu em 2014. A irmã atestou isso mesmo: disse que sempre foi Ho quem tratou de gerir o dinheiro da família e que foi sempre opção do pai que isso acontecesse. Já quando andava no secundario, diz a irmã do ex-Procurador, era ele quem geria o dinheiro da família, que lhe era entregue pelo pai, que ficou viúvo na altura.

 

Mais testemunhas de fora de Macau deverão ser ouvidas esta semana.