Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Rui Afonso recordado como uma figura “incontornável”
Sábado, 18/03/2017

Um homem “incontornável”, que trabalhou em prol da sociedade. É assim que Sérgio de Almeida Correia recorda Rui Afonso. O advogado, que foi deputado e director dos Serviços de Administração e Função Pública, morreu aos 70 anos.

 

“A maior parte das pessoas não tem noção do trabalho que foi feito nos anos 1980 e 1990. Ele é uma figura absolutamente incontornável, relativamente à autonomia de Macau. Foi a primeira pessoa que pediu que a Assembleia Legislativa saísse do Palácio do Governo porque entendia que teria de haver separação de poderes”, destaca o amigo e colega Sérgio de Almeida Correia.

 

“Trabalhou para que Macau tivesse condições de autonomia, desenvolvimento e progresso”, completa.

 

Rui Afonso desempenhou as funções de deputado entre 1984 e 1997, tendo participado activamente na reforma eleitoral, durante a década de 1980. “Estendeu o direito de voto a chineses e estrangeiros. O recenseamento foi extraordinariamente alargado. Na altura, foram dados incentivos fiscais ao recenseamento. Foi isso que abriu a porta à participação da população chinesa”, afirma Sérgio de Almeida Correia, antes de recordar que Rui Afonso também esteve no “estabelecimento dos princípios da Lei de Imprensa”.

 

Defensor do bilinguismo, Rui Afonso nunca se desligou da actualidade e olhava de forma crítica para a evolução da Assembleia Legislativa. “Tem sido desvalorizada pelo Executivo. Foram aspectos que, obviamente, incomodaram e preocuparam o Dr. Rui Afonso nos últimos anos”, explica Sérgio de Almeida Correia.

 

“Espero que um dia possa ser, devidamente, escrita uma biografia que coloque em destaque todo o muito trabalho feito por ele em prol de Macau e dos seus cidadãos”, conclui.

 

Rui Afonso morreu em Portugal. Mas o percurso profissional que teve marcou Macau, onde residia e “queria voltar”, sublinha Sérgio de Almeida Correia.