Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Agnes Lam e Teresa Vong pedem igualdade para as mulheres
Quarta, 08/03/2017

Nos dias que correm ainda existe uma grande disparidade entre homens e mulheres no mercado de trabalho. Uma conclusão das Professoras Agnes Lam e Teresa Vong, da Universidade de Macau.

 

44 por cento das mulheres, entre os 29 e os 33, desistem da carreira para se dedicarem à família. O dado é avançado pela académica da Universidade de Macau, Agnes Lam, autora de vários estudos sobre a desigualdade de género.

 

As razões que levam as mulheres a desistir da carreira estarão relacionadas com a maternidade uma vez que, se excluirmos o factor idade, a taxa de desistência do trabalho desce para 22 por cento.

 

“É, portanto, o dobro. Ou seja, as mulheres, quando estão no período fértil, sacrificam-se mais porque não há apoios suficientes e sofrem uma enorme pressão familiar para o fazerem”, disse Agnes Lam à TDM - Rádio Macau.

 

A mesma professora referiu-se à falta de creches, infantários e lares de idosos. Diz que o Governo tem de ter um papel mais activo e defender uma política mais pró-familia, até porque um terço das mulheres de Macau trabalha por turnos.

 

Teresa Vong acrescenta que hoje em dia, pese embora os bons resultados académicos, as mulheres têm menos oportunidades e recebem menos que os homens: “Isso é complicado. Apesar de as mulheres serem melhores no campo académico, eles recebem menos que os homens. É vicioso. As mulheres trabalham mais e recebem menos. Isto não é justo. No futuro eu gostaria de ver ambos os géneros a atingirem os mesmos valores e oportunidades”.

 

A professora universitária acrescentou que existe ainda um longo caminho a percorrer até à igualdade de género.