Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 07/03/2017

Os recados do presidente do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional (APN), Zhang Dejiang, a Macau e a Hong Kong fazem muitas das primeiras páginas dos jornais locais e da cidade vizinha.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun faz manchete com as palavras do líder do Comité Permanente da APN. Zhang Dejiang tem três desejos para Macau: que a cidade “aproveite as oportunidades de desenvolvimento, que use bem as políticas traçadas pelo Governo Central e que retire daí as próprias vantagens”.

 

O Va Kio dá conta da detenção de um homem que ameaçou polícias e os vizinhos com uma faca. O homem estava a protestar contra o barulho que vinha do apartamento de cima e acabou por se magoar sozinho durante a confusão que se instalou.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM diz que os delegados de Macau concordam com a criação da Comissão de Trabalho para a Construção de “uma faixa, uma rota”.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Hoje Macau titula “o génio e o caos” – Raquel Ochoa apresenta Manuel Vicente. Ainda destaque na primeira página para a demografia e a “população em queda”. Sobre a Liga Elite, este diário escreve “Benfica arrasador”.

 

O Jornal Tribuna de Macau destaca duas notícias “trabalhadores não residentes usados como ‘bodes expiatórios’” e “Ministério Público pagou hotel a 18 pessoas externas”. Na fotografia do JTM lê-se “dois edifícios históricos ganham vida na San Ma Lo”.

 

Em manchete o Ponto Final refere “a pátria honrai que a pátria vos contempla” – o presidente da APN, Zhang Dejiang, deixou claro que os deputados eleitos para a Assembleia Legislativa do território devem seguir o princípio “amar a pátria, amar Macau”. Este matutino também publica uma entrevista a Raquel Ochoa: “Macau é um sítio altamente inspirador”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily titula “construído a ouro”. Macau é a segunda cidade da Ásia mais cara para se construir, apenas destronada por Hong Kong. “Espaço para respirar” é outro título neste diário económico numa referência à primeira diminuição demográfica desde 2009.

 

O Macau Daily Times vira atenções para o Festival de Artes que este ano vai sofrer um corte de 4 milhões de patacas no orçamento. Em rodapé, este matutino refere que um campo de futebol perto do Lilau vai dar lugar a um espaço para estacionamento de carros.

 

O Macau Post Daily faz manchete com a garantia do presidente do Instituto Cultural, Leong Hio Ming, de que o exterior do edifício do antigo restaurante Lok Kok “vai permanecer intacto”. O edifício faz parte da lista de património cultural.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Sobre a indústria do carvão e do aço, o China Daily escreve que “corte na capacidade de produção é um trabalho crucial” na China. Este jornal oficial chinês publica ainda uma fotografia do encontro do presidente Xi Jinping e da primeira-dama com a família real do Camboja.

 

O South China Morning Post titula “Hong Kong exortada a colocar a economia acima das ‘políticas de rua’” – palavras do líder do Comité Permanente da APN, Zhang Dejiang. Noutro título lê-se que “Hong Kong é a cidade da Ásia mais cara para se construir”.

 

O Standard escolhe para título “juntem-se a nós ou ficam a perder”. Uma frase também em referência às declarações de Zhang Dejiang que avisa Hong Kong “a não gastar energias com a política e a procurar oportunidades económicas”.