Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Segunda-feira)
Segunda, 06/03/2017

A Imprensa de Macau destaca o fim-de-semana com uma manifestação de fé e a Assembleia Nacional Popular. De Hong Kong chega o freio à ideia de independência.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Ou Mun, o primeiro-ministro Li Keqiang garantiu, em Pequim, que a China vai manter a máxima um país, dois sistemas. Sobre Hong Kong, Li serenou a expectativa quanto à independência e disse que o território vai permanecer sob a alçada da China.

 

No Va Kio, o destaque vai para o dia de ontem, em que se celebrou o encontro da polícia e o cidadão. O Comandante da PSP disse que espera ver Macau com menos trânsito no futuro, tornando a cidade mais limpa e segura.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O Ou Mun Tin Toi, o caso dos estaleiros de Lai Chi Vun mantém-se na ordem do dia. A rádio promoveu um programa de debate com os ouvintes e muitos criticaram o caso, exigindo que a região de Coloane tenha uma alternativa à demolição dos estaleiros.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau chama para a primeira página o que apelidou de "grande Manifestação de Fé" à Procissão dos Passos, que teve lugar ontem.

 

No Hoje Macau há um especial que preenche quase toda a primeira com a Assembleia Nacional Popular. "Aos seus lugares", escreve o diário.

 

O Ponto Final foca-se no internacional. "Pecados e reincidências" o relatório sobre os direitos humanos dado a conhecer pelo Departamento de Estado norte-americano. Macau, diz o jornal, "não fica bem na fotografia."

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Macau Post Daily faz manchete com Li Keqiang, e a frase forte do dia de ontem: "A independência de Hong Kong não vai levar a lado algum". O primeiro-ministro também se opõe ao separatismo de Taiwan.

 

O Macau Daily Times destaca a Polícia Turística, que entrou em acção pela primeira vez no dia de ontem.

 

"Críticas rejeitadas", escreve o Business Daily, relativamente à resposta do Executivo às críticas do Departamento de Estado dos EUA.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O South China Morning Post destaca Li Keqiang: "Um aviso aos separatistas", pode ler-se. O primeiro-ministro garante que a China não vai abrir mão do território de Hong Kong.

 

No China Daily, o primeiro-ministro também é destaque, mas o ângulo é outro: Li Keqiang garante que as políticas governamentais prevêem a criação de 11 milhões de empregos durante este ano, com um crescimento de 6,5 por cento.

 

Por fim, o The Standard, onde o tema independência é novamente forte. Escreve o jornal que Li Keqiang colocou um visto negativo na questão da independência de Hong Kong.