Em destaque

24 de Outubro de 2017: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.5092 patacas e 1.1763 dólares.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 16/02/2017

A imprensa portuguesa destaca, nesta quinta-feira, o fim anunciado da proibição total de fumar nos casinos, o mistério em volta do homicídio de Kim Jong Nam na Malásia e a indefinição nos custos do projecto da Bblioteca Central.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

O Ou Mun Iat Pou destaca na edição de hoje a decisão do Governo em avançar com a criação de salas de fumo nos casinos. O jornal também destaca uma posição do Ministérios dos Estrangeiros da China. “Governo está atento ao caso Kim” sobre o homícido de Kim Jong Nam, na Malásia.

 

O Va Kio entrega a manchete de hoje à passagem de Alexis Tam, pela Assembleia Legislativa, e ás declarações sobre a futura Biblioteca Central. “Orçamento só depois do concurso público” escreve o jornal.

 

Canal chinês de rádio da TDM

O Ou Mun Tin Toi tem estado a destacar ao longo da manhã, entre outros assuntos, este recuo do Governo na tolerância zero ao tabaco nos casinos. Vai haver salas de fumo.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

O Ponto Final escreve, na manchete, “Marcha atrás no cigarro” sobre a decisão do Governo de criar, afinal, salas de fumo nos casinos. “Os Kim de Macau e outros mistérios”, é o título de rodapé sobre a família que ainda reside em Macau, “sob protecção de agentes chineses”, um facto que o Governo Central rejeita.

 

“Minha cara literatura” é a manchete do Hoje Macau relativa ao orçamento e ao futuro da nova biblioteca central. “Olhar e alucinação”, é outro dos destaques em parte da primeira página do jornal sobre a exposição de João Miguel Barros na Creative Macau.

 

O Jornal Tribuna de Macau aponta - “Mansão à venda por 250 milhões no Largo do Lilau”. A manchete refere-se à lei do tabaco. “Governo aceita manter salas de fumo nos casinos”. O jornal salienta hoje a morte do irmão do líder da Coreia do Norte. “Cortina de mistério envolve a morte de Kim Jong Nam”.

 

 

Jornais de Macau em língua inglesa

O Macau Daily Times puxa para a gorda: “Mulher detida por causa de assassínio de Kim Jong Nam”, e publica foto de uma imagem das câmaras de vigilância do aeroporto. Em rodapé: “Alexis Tam reitera localicação da nova biblioteca no edifício do antigo tribunal”.

 

O Business Daily diz, na manchete, “Reviravolta no fumo dos casinos” sobre a criação de salas de fumo nos casinos depois da política de tolerância zero. “Subir no ranking” é outra das chamadas de primeira acerca da clsssificação, na 32ª posição, de Macau na lista das cidades com mais liberdade económica.

 

O Macau Post Daily puxa, para o título maior, a questão da nova biblioteca central. “Tam insiste na localização da Biblioteca Central”. “Trump promete a Israel que o Irão nunca terá bomba”, é outro dos títulos.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

O South China Morning Post escreve, na manchete, sobre o caso da morte de Kim Jong Nam. “Kim sentia que já estava a viver tempo emprestado”. “Milionário desaparecido tinha passaporte de um Estado das Caraíbas”, é outro dos títulos, em grande destaque, na primeira sobre o passaporte de Antigua e Barbuda que Xiao Jianhua recebeu, dias antes, da visita ao micro-Estado de Xi Jinping e Li Keqiang.

 

O China Daily faz manchete com a gripe das aves. “Estação da gripe do H7N9 passou o pico”. “Dubai vai ter drones chineses para transporte de passageiros”, escreve também, em grande destaque com foto e infografia.

 

O The Standard tem a primeira feita de publicidade. Na página dois, o título refere a detenção na Malásia de uma das mulheres suspeitas do homícidio de Kim Jong Nam. “Sexy assassina detida”, diz o jornal.