Em destaque

23 de Junho: às 12h30, aos balcões do BNU, 1 euro valia 9.0204 patacas e 1.1164 dólares.

Salas de fumo: Alexis Tam diz que não cedeu a pressões
Quarta, 15/02/2017

Alexis Tam rejeita a ideia de pressões por parte da indústria do jogo ou que tenha cedido na questão da proibição total do fumo dos casinos. É a reacção do secretário para os Assuntos Sociais e Cultura, depois de o Governo ter anunciado que aceitou os argumentos das operadoras do sector para a instalação de salas fechadas.

 

Em declarações aos jornalistas ao final da tarde, Alexis Tam lembrou umas declarações que fez anteriormente na Assembleia legislativa, onde está a ser discutida na especialidade a proposta de lei que revê o diploma anti-tabagismo e que iria impor uma proibição total do fumo nos casinos. “Naquele dia em que a proposta de lei foi aprovada na generalidade, eu expliquei-vos aqui que o Governo poderia pensar e ponderar mas apenas com duas condições: a concordância dos trabalhadores dos casinos e que os operadoras implementem as salas de fumadores com padrões muitos exigentes.”

 

As empresas de jogo encomendaram dois estudos à universidade de Macau. O estudo apresentado recentemente demonstrou que 60 por cento dos trabalhadores dos casinos concordam com as salas de fumadores fechadas, que as operadoras propõem. Já o inquérito mais antigo, concluía que a proibição de fumo nos casinos iria afectar o crescimento da economia de Macau em 16 por cento.  

 

Alexis Tam realça que não foi ainda tomada qualquer decisão. A possibilidade de as operadoras manterem salas de fumo nos casinos depende agora inteiramente delas, se concordarem em criar salas que garantam padrões de qualidade do ar ainda mais elevados. “Nós queríamos salas com critérios mais exigentes e não apenas menos um de pressão negativa. Agora vai passar para menos cinco de pressão negativa, portanto, o nível mais elevado. Agora depende delas”.

 

Se as operadoras conseguirem criar salas com as exigências definidas pelo Governo, terão de ser feitas alterações ao diploma que revê a lei anti-tabaco, que foi aprovada na generalidade em Julho de 2015 e que ainda está a ser analisada na especialidade pela segunda comissão permanente da Assembleia. Por outro lado, há a hipótese de a proposta de lei deixar mesmo de existir, caso não se façam as mudanças a tempo do fim da legislatura.

 

O secretário esclareceu ainda que além dos casinos só o Aeroporto Internacional de Macau tem autorização para ter instaladas salas de fumo.