Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

CEM espera quebra nas receitas em 2011
Quinta, 12/01/2012
A Companhia de Electricidade de Macau – CEM espera uma quebra nas receitas em 2011, apesar de o volume de negócios ter aumentado no ano passado. De acordo com o presidente da comissão executiva da concessionária, Franklin Willemyns, na base da quebra estãrá o novo regime contratual entre a empresa e o Governo.

Durante o “Almoço de Primavera” com os órgãos de comunicação social para comemorar o 40º aniversário da CEM e o Ano Novo Lunar, Franklin Willemyns explicou que “ainda não fechamos as contas”, processo que deverá ficar concluído depois de Março e de realizadas a auditoria e aprovação das contas. Ainda assim, o responsável afirmou que “já sabemos que, em função do novo regime contratual, os resultados finais deverão ser menores do que nos anos anteriores, pese ter havido um maior volume de negócios, porque houve um crescimento das vendas”.

Nos últimos 10 anos, o consumo de energia em Macau aumentou 127 por cento. Só no ano passado, e em relação a 2010, o consumo de energia aumentou 5,3 por cento. Para este ano, a CEM espera um aumento do consumo na ordem dos 8,2 por cento.

Apesar da previsível quebra das receitas, Franklin Willemyns mostrou-se convencido de que a empresa terá condições, em 2012, para continuar a política de redução das tarifas.

Quanto à entrada da empresa chinesa Three Gorges na portuguesa EDP, accionista de referência da CEM, Franklyn Willemins disse acreditar que nada vai ser alterado na relação entre as empresas: “A EDP tem a sua própria estrutura accionista, a CEM também, e nesse sentido são independentes. O que interessa à CEM é ter accionistas fortes e interessados, que dêem suporte, o que tem sido o caso e acredito que isto não irá mudar”.