Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

“Cunhas”: Novo Macau pede investigação ao Ministério Público
Quarta, 18/01/2017

A Associação Novo Macau quer que seja apurada “toda a verdade” no caso do alegado favorecimento na contratação de familiares de secretárias para o Ministério Público e, por isso, pediu a abertura de uma investigação ao organismo.

 

O pedido surge na sequência da revelação feita em tribunal pelo ex-Procurador Ho Chio Meng, que está a ser julgado por corrupção.

 

Ho afirmou que havia no Ministério Público funcionários que partilhavam relações familiares e recordou que “as duas secretárias de apelido Chan chegaram a telefonar-lhe”, referindo-se a Florinda Chan e a Sónia Chan, respectivamente a antiga e a actual secretária para a Administração e Justiça.

 

Em declarações à Rádio Macau, Scott Chiang, presidente da Associação Novo Macau, lembrou que há um sistema de recrutamento e defendeu a necessidade de se saber a extensão dos alegados favorecimentos para entrada na função pública, ou seja, se há mais casos além dos dois já confirmados envolvendo Florinda Chan e Sónia Chan.

 

A revelação feita por Ho Chio Meng motivou já a apresentação de uma queixa ao Comissariado Contra a Corrupção.

 

Com ou sem investigação, certo é que o Governo terá de ir à Assembleia Legislativa esclarecer os deputados sobre o uso de “cunhas” na Administração.

 

Ng Kuok Cheong e José Pereira Coutinho estão inscritos na próxima ronda de interpelações orais e ambos têm o mesmo objectivo: responsabilizar a secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan, pelo telefonema ao ex-Procurador que resultou na contratação de um familiar da governante.

 

Sobre este caso, o Chefe do Executivo, Chui Sai On, afirmou que “é difícil” manter as distâncias numa terrena pequena como Macau, mas Ng Kuok Cheong e Pereira Coutinho querem saber se as revelações de Ho Chio Meng sobre a actual secretária para a Administração e Justiça, Sónia Chan, e a antecessora, Florinda Chan, vão ter consequências.