Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Ho Chio Meng admite ter omitido dados na declaração de bens
Segunda, 09/01/2017

O ex-Procurador confessou hoje que omitiu informação relevante nas declarações de rendimentos, que estava obrigado a prestar pelas funções que exercia. Em alguns casos, Ho Chio Meng alegou desconhecimento legal; noutros, limitou-se a dizer: “Não fiz de propósito”.

 

Acusado de dois crimes de falsas declarações e um crime de riqueza injustificada, o antigo líder do Ministério Público ilibou a mulher, Chao Sio Fui: disse que foi ele quem preencheu as declarações de rendimentos e assumiu toda a responsabilidade pela informação omitida. “Fui eu quem fez as declarações. A minha mulher não teve conhecimento, nem se meteu neste assunto. A responsabilidade cabe a mim. Sinto tristeza [por Chao Sio Fui ter sido constituída arguida por este facto]”, disse, enquanto limpava uma lágrima do rosto.

 

Ho Chio Meng e a mulher, funcionária pública, estão acusados de prestar “informações incompletas e falsas” sobre o património que possuíam, nas declarações que apresentaram entre 2010 e 2015. Entre os bens por declarar constam contas bancárias em Macau e na China, 300 mil patacas que foram encontradas num cofre de uma das residências do casal, e um apartamento e parque de estacionamento, na Areia Preta, que o ex-Procurador disse ter comprado para o pai.