Em destaque

25 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,0449 patacas e 1,1156 dólares norte-americanos.

 

Mário Soares e a questão de Macau
Domingo, 08/01/2017

Esteve algumas vezes no território, nomeadamente durante os mandatos como presidente de Portugal.

 

Rádio Macau ouviu algumas personalidades de Macau que recordaram a figura e a obra de Mário Soares e a ligação que teve ao território, o qual, nas próprias palavras de Mário Soares, Portugal considerou como desígnio nacional.

 

Para o jornalista José Rocha Dinis, Mário Soares foi “o homem ideal, que apareceu, quando foi presidente da República em Portugal, no momento próprio para Macau, quer com as nomeações, quer com o seu modo de funcionar”.

 

Para Rocha Dinis, Mário Soares “trouxe uma nova realidade, passando-se a respirar melhor em Macau, como escreveu na altura.

 

A antiga presidente da AL, Anabela Ritchie observa que Mário Soares tinha para Macau “um carinho especial e uma sensibilidade e solidariedade muito grandes”.

 

Recordou que “por razões institucionais e pessoais, sabia que Mário Soares transmitia a visão que tinha de Macau às pessoas que em seu redor, conseguindo desta forma congregar muita gente, para o que qualificou de desígnio nacional”.

 

Para Jorge Fão, antigo presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública, “Mário Soares não estava propriamente a par do que se passa no território”.

 

Acrescenta Fão, que lhe falou sobre a questão da nacionalidade, a qual, segundo afirma, “deixou o próprio Mário Soares estupefacto, das pensões e da integração, entre outras coisas mais”, sobre as quais também não estaria muito a par”.

 

Fão diz também que Mário Soares permitiu o diálogo entre a função pública directamente com o presidente, coisa que nunca aconteceu e, que, no final, grosso modo, embora sem estar mal, o acompanhamento das questões de Macau podia ter sido melhor “.