Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Coutinho fala em 5 mil pessoas na rua contra taxas da DSAT
Domingo, 08/01/2017

Cinco mil pessoas, de acordo com a organização, e 1600, segundo a polícia, participaram esta tarde numa manifestação contra o aumento das taxas de veículos da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT).

 

O protesto, que decorreu sem incidentes entre a Praça do Tap Seac e o Palácio do Governo, foi liderado pelo deputado Pereira Coutinho, que pede para ser recebido pelo secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, de quem espera uma marcha atrás na actualização das taxas em vigor desde o início do ano. Caso isso não aconteça, Coutinho promete que a luta continua.

 

Em declarações aos jornalistas, Pereira Coutinho disse que a manifestação foi “espontânea” e que partiu de “cidadãos revoltados”.

 

Mas o deputado e presidente da Associação dos Trabalhadores da Função Pública desde cedo se colocou na linha da frente dos protestos contra o que muitos cartazes, repetindo palavras de Coutinho, diziam ser as “multas exageradas”.

 

Mas, na verdade, não estão em causa multas, mas sim taxas, que entraram em vigor no passado dia 1 de Janeiro, representando aumentos acima de 50 por cento.

 

A DSAT justificou que os valores não eram actualizados há mais de dez anos e que agora poderiam ter um maior efeito dissuasor.

 

São taxas de licenças, de inspecção de veículos, de exame de condução, remoção e depósito de veículos.

 

A taxa de remoção de veículos bloqueados foi a que sofreu o maior aumento, passando de 300 para 1500 patacas.

 

Considerando que há “conluio” entre o Governo e a empresa responsável pelos reboques, Pereira Coutinho disse que “se a empresa não consegue ganhar dinheiro, que o Governo arranje outra, mas não pode colidir com os interesses dos cidadãos”.

 

Conforme tinha sido explicado quando foi anunciada, na última semana, a manifestação teve um objectivo: pedir ao Governo que volte atrás na decisão de aumentar as taxas.

 

Isso mesmo deverá ser reivindicado num encontro, agora pedido, com o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário.

 

Caso o Governo não ceda, Coutinho ameaça com novos protestos: “É grande a possibilidade de pormos centenas de viaturas em marcha lenta. A convulsão é grande entre os cidadãos que estão fartos da forma ditatorial como o Governo age quando vem punir os cidadãos”.

 

Se há ou não novos protestos, ainda é uma incógnita.

 

Por agora, Pereira Coutinho pode cantar vitória com uma mobilização que surpreendeu o deputado: “Cinco mil, é a minha previsão. Superou, de longe, as expectativas”.