Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Habitação: Manhão pede prioridade para os naturais de Macau
Sábado, 07/01/2017

A habitação é o maior problema com que se debatem os pensionistas e reformados de Macau. A opinião é de Francisco Manhão, presidente da Associação de Aposentados, Reformados e Pensionistas de Macau (APOMAC).

 

Convidado do Rádio Macau Entrevista, Manhão defende que o Governo deve construir mais habitação social e que os naturais de Macau devem ter prioridade: “O natural de Macau, neste momento, está sempre em desvantagem em relação a um novo imigrante da China, que tem um salário baixo e um agregado familiar maior. Em qualquer país do mundo um nativo tem sempre privilégio”.

 

Francisco Manhão diz que o Governo deve também contruir mais habitação para os funcionários públicos, incluindo os reformados.

 

O presidente da APOMAC considera ainda que o Governo “tem condições mais do que suficientes” para avançar com a construção de uma cidade satélite nos novos aterros destinada aos pensionistas e reformados.

 

A APOMAC quer ainda que o Governo crie um subsídio a atribuir aos reformados que recebem as pensões através da Caixa Geral de Aposentações para compensar a desvalorização do euro.

 

Segundo Manhão, são cerca de 700 os associados nestas condições e “muitos recebem uma pensão de sobrevivência que é relativamente baixa”, e que, “com a desvalorização do euro, ficam ainda mais prejudicados”.

 

O Rádio Macau Entrevista pode ser ouvido na nossa página da internet e é repetido segunda-feira, às 10h30.