Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Aumento de taxas relacionadas com veículos no regresso da AL
Quarta, 04/01/2017

Os aumentos das taxas relacionadas com veículos estiveram em destaque, esta tarde, na primeira sessão de 2017 da Assembleia Legislativa (AL). No habitual período de interpelações, Melinda Chan e José Pereira Coutinho acusaram o Governo de querer atacar o problema do trânsito com medidas que só prejudicam a população.

 

A actualização das tabelas de preços entrou em vigor no dia 1 de Janeiro. Desde então surgiram críticas, com eco entre os deputados.

 

Melinda Chan concorda com a necessidade de controlar o número de veículos. Mas discorda que a solução esteja nos aumentos, que atingem as inspecções, a obtenção de licenças, o exame de condução ou a taxa de remoção dos veículos. Neste último caso, passou de 300 para 1500 patacas.

 

“O Governo teve em consideração o grau de aceitação dos cidadãos? Estas questões merecem reflexão”, começou por dizer Melinda Chan.

 

A deputada defende que a grande aposta do Executivo deve passar pelos transportes públicos e faz três sugestões: “Aumentar os serviços das carrinhas das escolas, por forma a apoiar a levarem os seus filhos à escola; reforçar os serviços de autocarros e táxis, para facilitar a vida dos idosos e as deslocações dos deficientes, incentivando-os a utilizarem os transportes públicos; e coordenar melhor as obras nas vias”.

 

José Pereira Coutinho, que já tinha criticado os aumentos, durante uma conferência de imprensa convocada ontem, levou o mesmo tema ao plenário. O deputado argumenta que os cidadãos saem prejudicados, quando persistem situações que continuam por regulamentar.

 

“Dezenas e dezenas de reboques de contentores estacionados impunemente em linhas amareladas na zona do Cotai, da Ilha Verde e também da Assembleia Legislativa, por falta de espaços suficientes para parqueamentos. Estes parqueamentos são um constante e iminente perigo de circulação, especialmente durante a noite".

 

A falta de estacionamento foi apontada como uma razão que potencia as infracções, agora com multas previstas mais caras. Pereira Coutinho denuncia ainda que os autocarros das operadoras de jogo prejudicam o “interesse público”, já que têm “privilégios” em algumas zonas da cidade.

 

Na Assembleia Legislativa Song Pek Kei também apelou ao aperfeiçoamento da política dos transportes públicos para resolver os problemas do trânsito. Sobre o metro ligeiro, que podia ser uma alternativa, a deputada afirma que é “apenas um sonho”.