Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Mil obras ameaçam trânsito com “pressão muito severa”
Segunda, 19/12/2016

A Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego estima que no próximo ano sejam realizadas cerca de mil obras viárias.

 

O número tem em conta as obras cuja execução começou este ano e que ainda não estão terminadas, e o número de pedidos apresentados até agora.

 

Assim, o número de obras pode ser maior ou menor do que o estimado, mas o certo é que a pressão sobre o trânsito vai ser “muito severa”.

 

Se acha que o trânsito em Macau é caótico, prepare-se, que o pior pode estar para vir.

 

O próximo ano promete ser ainda mais complicado devido ao aumento significativo do número de projectos apresentados.

 

Em 2016, o Grupo Coordenador das Obras Viárias recebeu 485 projectos – desses, metade não foram concluídos, estendendo-se até 2017.

 

Juntam-se aos 711 projectos apresentados até agora para o próximo ano – a maioria, 477, é na península de Macau, sendo os restantes 234 nas ilhas.

 

Os prazos de execução das obras variam de 140 a 1000 dias, ou seja, perto de três anos.

 

Metade vai durar mais de um ano e relaciona-se com obras de interesse público: aumento do fornecimento de energia eléctrica, reordenamento da rede de esgotos, substituição de canalizações de amianto e construção de viadutos.

 

Há pelo menos 17 obras de grande dimensão, que envolvem algumas das principais artérias do território: a Avenida Almirante Lacerda, a Avenida da Ponte da Amizade, a Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues e a Avenida Dr. Sun Yat Sen, entre outras.

 

Lam Hin San, o director dos Serviços para os Assuntos de Tráfego, apresentou algumas medidas para optimizar a gestão de coordenação das obras: “A partir de 1 de Janeiro, vai haver uma elevação da taxa para obter licença das obras. Leva a que cada entidade pense mil vezes sempre que tenha necessidade da realização das obras. Outra medida é uma classificação das estradas, tendo em conta a emergência e a importância. Nas situações que não sejam mesmo de grande necessidade, não vamos consentir a realização das obras”.

 

Outra medida passa pela atribuição de prémios ou sanções, conforme a conclusão antecipada das obras ou o atraso.

 

Sempre que possível, as obras decorrem à noite, aos domingos e aos feriados.