Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Calçada do Gaio: Governo pede “orientações” a Pequim
Quinta, 15/12/2016

O Governo de Macau pediu “orientações técnicas e assistência à Administração Nacional do Património Cultural no sentido de definir o tratamento a dar” ao empreendimento na Calçada do Gaio, projecto que está suspenso há vários anos devido à altura do edifício, que coloca em causa a vista do Farol da Guia, classificado como património mundial.

 

Num comunicado divulgado hoje, a Direcção de Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes informa que o pedido de ajuda seguiu para Pequim em Novembro e que aguarda uma resposta que será publicada “logo que receba notícias”.

 

Esta informação surge depois de ontem ter sido conhecido que a UNESCO vai pedir explicações ao Governo de Macau sobre a altura do edifício da Calçada do Gaio, de acordo com a Associação Novo Macau.

 

Em comunicado, a associação disse que teve uma reunião em Paris com a directora do Centro de Património Mundial da UNESCO, Mechtild Rossler, que se disse disposta a acompanhar o caso e a pedir esclarecimentos ao Governo de Macau.

 

O edifício da Calçada do Gaio está embargado desde 2008 depois de um despacho do anterior Chefe do Executivo, Edmund Ho, ter limitado a altura dos imóveis à volta do Farol da Guia, classificado em 2005 como património mundial pela UNESCO, a um máximo de 52,5 metros.

 

Embora a medida não tivesse efeitos retroactivos, as autoridades embargaram a obra.

 

No início de Novembro, o secretário para os Transportes e Obras Públicas, Raimundo do Rosário, afirmou na Assembleia Legislativa que o edifício embargado vai poder ficar com os 80 metros de altura que tem actualmente.