Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Serviços de Saúde não devem contratar novos médicos em 2017
Sexta, 09/12/2016

Os Serviços de Saúde não planeiam contratar mais médicos especialistas no próximo ano, afirmou hoje o director do organismo. Lei Chin Ion justifica a decisão de suspender novas contratações com as directrizes do Governo para a limitação do número de funcionários públicos.

 

“No corrente ano, nós já recrutámos mais de 20 especialistas e no próximo ano, porque os serviços públicos não podem aumentar o número de recursos humanos, então nós ainda não temos um plano concreto para o recrutamento de médicos”, avançou Lei Chin Ion, à saída do programa Fórum do canal chinês de rádio da TDM.

 

Nas linhas de acção governativa da área da Administração e Justiça não foi veículada claramente a informação de que os serviços do Governo não poderiam contratar mais pessoal em 2017. A secretária Sónia Chan referiu apenas que o limite é 36 mil funcionários públicos, sendo que actualmente existem 32 mil.  

 

Nestas declarações à Rádio Macau, Lei Chin Ion rejeitou a ideia de que a suspensão no recrutamento de novos especialistas em 2017 poderá vir a afectar os cuidados de saúde. “Este ano, e o ano passado, já foram admitidos bastantes especialistas, portanto, o trabalho não vai ser afectado no próximo ano. Gostaria de acrescentar também que não é autorizada pelo Governo a adição de novo pessoal ou especialistas. Mas podem ser preenchidas as vagas de médicos especialistas que sejam demitidos ou que desistam”, sustentou o director dos Serviços de Saúde.

 

O plano de recrutamento para 2016, anteriormente disponibilizado aos jornalistas, previa a contratação de 51 especialistas, de 55 médicos generalistas e de 82 internos. Em Julho, a Associação de Médicos de Língua Portuguesa alertava para a falta de especialistas em algumas especialidades do Centro Hospitalar Conde de São Januário, nomeadamente na área da cirurgia. Agora, contactada pela Rádio, a associação não quis tecer comentários.