Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Lei de Imprensa: Victor Chan optimista sobre consenso
Terça, 03/01/2012
O Gabinete de Comunicação Social (GCS) reuniu-se hoje com os profissionais da Teledifusão de Macau (TDM) de língua chinesa. No final do encontro, no qual foi discutida a revisão das leis de Imprensa e de Radiodifusão, o director do GCS, Victor Chan, sublinhou que todas as opiniões têm como finalidade a garantia da liberdade de imprensa em Macau. “Já nos reunimos com quatro associações, portuguesas e chinesas e, claro, têm opiniões diferentes. Mas há um elemento comum, muito positivo: todos estimam muito a liberdade de imprensa. De qualquer maneira, os jornalistas querem que a liberdade de imprensa e de expressão seja reforçada neste processo e era exactamente isto que o Governo esperava”, disse à Rádio Macau.

Victor Chan está confiante que vai ser alcançado um consenso, já que, neste aspecto, “não há desacordo” entre profissionais da comunicação social e Governo. “Claro que as pessoas têm diferentes opiniões sobre o caminho que se deve seguir para o alcance desse fim. Mas isso não importa, porque desde que todos expressem as suas opiniões livremente e ouçam as dos outros, tenho a certeza, aliás, estou confiante, que os órgãos de comunicação social portugueses, chineses e ingleses vão chegar a um consenso sobre a forma como devemos proteger a liberdade de imprensa e de expressão no futuro”. O director do GCS reafirmou também que o Executivo ainda não definiu qualquer calendário para a revisão das leis de Imprensa e de Radiodifusão.

Entretanto, num comunicado, o GCS refere que os jornalistas dos canais em língua chinesa da TDM concordam com a criação de um conselho de imprensa. Victor Chan defende que “deve ser o próprio sector o responsável pela eventual criação de um organismo regulador da profissão e respectivos poderes, forma de funcionamento e credenciação”.