Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Ng Kuok Cheong lamenta decisão de Hong Kong sobre LegCo
Terça, 15/11/2016

O deputado pró-democracia Ng Kuok Cheong diz lamentar “imenso” a decisão do Tribunal Superior de Hong Kong que impede os dois deputados pró-independência Sixtus "Baggio" Leung e Yau Wai-ching de assumirem o mandato no Conselho Legislativo.  “Parece-me que este caso não vai parar aqui. Presumo que será apresentado recurso”, antecipa o deputado, que espera que “os juízes do Tribunal de Última Instância encontrem um caminho para Hong Kong”.  

 

Ng Kuok Cheong admite que este processo tenha efeitos no processo de democratização de Macau. Ainda assim, mantém um tom optimista. “Espero que, não só Macau, mas também Hong Kong, consigam encontrar o seu caminho. Vamos lutar pelo lugar de Macau neste processo. Dizem-me: a situação é má em Hong Kong, portanto, o Governo Central vai deixar Macau fazer alguma coisa, para mostrar o poder de Macau. Não acho que isto vá acontecer”, diz. “Vamos lutar por Macau, mas também esperamos que Hong Kong encontre o seu caminho de forma mais tranquila”, remata.

 

Já Pereira Coutinho, também pró-sufrágio universal de Macau, diz que a decisão conhecida hoje é apenas o resultado de uma situação “muito complexa”. “O ponto a que chegaram previa se este desfecho. Uma coisa não podemos esquecer: a população de Hong Kong está revoltada com os políticos, com o sistema”, defende o deputado, ao sublinhar que o Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional “é o órgão soberano para interpretar a Lei Básica”. “Os tribunais de Hong Kong funcionam na fiscalização concreta dos casos quanto à aplicação da Lei Básica. A competência final da interpretação, tanto em Hong Kong como Macau, compete ao Comité Permanente”, frisa.