Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Dinâmicas urbanas e plataforma sino-lusófona em debate
Sexta, 04/11/2016

Repensar Macau, enquanto estrutura urbana e plataforma entre a China e a lusofonia, é o mote de uma mesa-redonda organizada, esta tarde, pelo Conselho Internacional de Arquitectos de Língua Portuguesa (CIALP).

 

“O desafio para o CIALP é abrir um debate entre profissionais locais que estão directamente engajados com esta questão do urbanismo, da cidade e da lusofonia. Portanto, ter a possibilidade de discutir ideias com pessoas que fazem esta reflexão de uma forma mais abrangente e mais académica”, explica o presidente do CIALP, Rui Leão.

 

O arquitecto sublinha que há necessidade de “tentar concentrar alguma massa crítica sobre quem sabe e quem pesquisa nesta área de conhecimento”. “Há uma vontade política cada vez mais mais afirmada. Isso irá acontecer porque irá haver um investimento. O que me parece mais importante, enquanto arquitecto e parte da comunidade portuguesa e macaense, é que isso passe por nós. É importante perceber-se o que, a médio e longo prazo, é preciso colocar em acção”, defende.

 

A mesa-redonda, intitulada “Repensar o papel urbano de Macau: a plataforma, o Delta do Rio das Pérolas e o mundo lusófono”, conta com a participação das arquitectas e urbanistas brasileiras da Universidade Federal do Rio de Janeiro Margareth da Silva Pereira e Fabiana Izaga, o arquitecto André Ritchie e o director do semanário bilingue Plataforma, Paulo Rego.

 

A sessão começa às 18h, no Auditório Dr. Stanley Ho do Consulado-Geral de Portugal em Macau.