Em destaque

18 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20602 patacas e 1.1314 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 03/11/2016

O relatório do CCAC que aponta falhas à gestão dos auto-silos pela DSAT é um tema em destaque na imprensa local. Em Hong Kong, os jornais falam de uma situação de “caos” no Conselho Legislativo que deixou seguranças feridos.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Ou Mun diz que o Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais proibiu a comercialização de uma espécie de caranguejos por ter sido encontrada uma substância com propriedades cancerígenas acima dos níveis de segurança. Este jornal traz ainda as queixas de comerciantes que alegam que essa proibição levou a uma queda nos seus negócios para metade.

 

O Va Kio faz manchete com o Comissariado Contra a Corrupção (CCAC) que detectou “problemas graves” na gestão dos auto-silos por parte da Direcção dos Serviços para os Assuntos de Tráfego (DSAT). 

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM coloca em foco, esta manhã, a visita de Chui Sai On a Pequim. A rádio diz que o Chefe do Executivo visitou o departamento de transportes da capital chinesa. Chui Sai On deslocou-se a essa cidade para discutir as políticas de gestão das áreas marítimas atribuídas a Macau.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

Em manchete o Hoje Macau escreve “amigos, amigos negócios à parque” a propósito do CCAC que “arrasa gestão dos auto-silos pela DSAT”. As principais críticas são a falta de fiscalização e as demasiadas adjudicações directas que violaram “o princípio da legalidade”.

 

No Jornal Tribuna de Macau lê-se, em título, que “CCAC alerta para desvios ‘intencionais’ em concursos”. Foram apontadas graves defi­ciências à DSAT na adjudicação de contratos de gestão dos auto-silos públicos, mas o Comissariado estendeu a advertência a outros organismos. O destaque fotográfico é feito com “as ambições de jovens em eloquente Português”.

 

O título escolhido pelo Ponto Final é “serviços em contramão”. Ainda espaço na primeira para uma notícia sobre terrenos: “trocas e baldrocas em Nam Van” - a Shun Tak quer discutir com o Executivo a permuta dos terrenos localizados na zona de Nam Van por outros de valor semelhante. O Governo ainda não respondeu ao repto da empresa dirigida por Pansy Ho, mas Pereira Coutinho mostra-se frontalmente contra a possibilidade.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

A manchete do Business Daily destaca o relatório do CCAC sobre a adjudicação de serviços de gestão de auto-silos públicos, com críticas à DSAT pela falta de controlo interno e não respeitarem as regras. Noutra notícia, o diário económico dá conta das palavras do Chefe do Executivo de que Macau vai registar um excedente orçamental de quase 30 milhões de patacas neste ano.

 

O Macau Daily Times não foi publicado hoje.

 

O Macau Post titula “Chui promete que Governo vai aprender com a experiência do metro ligeiro na Taipa”. O Chefe do Executivo confirmou que o Governo vai fazer um anúncio sobre o projecto para a península ainda antes do final do ano. Ainda em foco as palavras de Barack Obama que sobre o caso dos emails afirma que investigação do FBI não deveria ser substanciada em insinuações.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily faz destaque fotográfico com Hong Kong onde, lê-se, “radicais causam tumultos no Conselho Legislativo e deixam seguranças feridos”. Na notícia principal da edição de hoje, o jornal oficial chinês diz que vários países pediram para participar nos planos do laboratório espacial da China.

 

No South China Morning Post destaque para o “caos” no Conselho Legislativo, quando “se avizinha” intervenção de Pequim. Ainda em foco, o fundador da Alibaba, Jack Ma, que afirmou que “leis desactualizadas prejudicam Hong Kong”.

 

O Standard escreve “seis feridos em caos no Conselho Legislativo”. Uma situação que esteve relacionada com uma tentativa de retirar do edifício os dois deputados eleitos, cujos juramentos foram considerados inválidos.