Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Terça-feira)
Terça, 01/11/2016

A detenção de um residente suspeito de violência doméstica e a reunião do Conselho do Planeamento Urbanístico sobre os planos para os terrenos onde iria nascer o empreendimento La Scala são temas em destaque na comunicação social de Macau. Em Hong Kong, os jornais fazem manchetes com notícias diferentes, como a posição do candidato a Chefe do Executivo sobre os movimentos pró-independência ou a redução de tarifas de autocarros.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Ou Mun dá grande destaque à detenção de um homem por violência doméstica. É a segunda detenção por este crime desde que a nova lei entrou em vigor, a 5 de Outubro.

 

O Va Kio faz manchete com a mesma notícia. O homem abusou física e psicologicamente da esposa durante oito anos. A mulher decidiu agora reportar os abusos à polícia.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM vira atenções, esta manhã, também para este caso de violência doméstica. Noutra notícia, a rádio diz que o Conselho do Planeamento Urbanístico quer que, além de habitação pública, também seja disponibilizado espaço nos terrenos onde iria nascer o empreendimento La Scala para o mercado imobiliário privado.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

“Melodias de sempre” é o título escolhido pelo Hoje Macau a propósito da habitação e transportes serem as principais preocupações para as LAG 2017. É o que diz um inquérito da Associação Nova Visão. Em grande plano ainda uma reportagem sobre a poluição, com o nome “ar que se lhe deu”.

 

O Jornal Tribuna de Macau titula “Caritas pede mais apoio para TNR’s na Saúde”. Foi um dos temas que o secretário-geral da Caritas Macau levou ao Chefe do Executivo. No destaque fotográfico do JTM lê-se “condutores de autocarros discriminam deficientes”. “IAS apoia veto a apostas de funcionários do jogo”, é outro título.

 

O Ponto Final diz em manchete “desígnios públicos, apetites privados” sobre a construção de habitação pública nos terrenos onde deveria ter nascido o empreendimento La Scala não agradar a boa parte dos membros do Conselho do Planeamento Urbanístico. “Mercado de Coloane com os dias contados” é outro destaque na primeira página.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily diz que a Wynn Macau conseguiu resolver uma disputa com o principal construtor do Wynn Palace. A operadora vai pagar mais de 200 milhões de dólares norte-americanos. Este diário económico dá ainda conta da queda anual de 20 por cento no número de excursionistas durante o mês de Setembro e também do aumento dos visitantes locais à Coreia do Sul.

 

A manchete do Macau Daily Times refere que “Macau está de olhos postos em Vegas para mudanças no mercado de massas”. A fotografia e o título em rodapé fazem referência à turbulência social na Coreia do Sul: “mulher no meio do escândalo diz que merece morrer”. Em causa a suposta influência de Choi Soon-sil nos assuntos do país através da presidente Park Geun-hye.

 

O Macau Post coloca em destaque a detenção de uma mulher suspeita da prática de lenocínio envolvendo uma menor de 14 anos. Segundo o porta-voz da Polícia Judiciaria, a mulher é oriunda da província de Guizhou assim como a vítima. Ainda em foco, outra detenção, de um residente que abusou física e psicologicamente da esposa durante oito anos.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily diz que turismo no espaço “está a quatro anos de distância”. A empresa ChinaRocket planeia viagens comerciais à mesosfera em 2020. Na primeira deste jornal oficial chinês ainda uma imagem que capturou um exercício militar nos Novos Territórios em Hong Kong.

 

No South China Morning Post em foco as declarações de Woo Kwok-hing. O candidato a Chefe do Executivo afirma que as pessoas são livres de discutir o tema da independência de Hong Kong mas não devem organizar iniciativas com esse fim, sob pena de violarem a Lei Básica. O destaque fotográfico remete para os protestos contra o Governo na Coreia do Sul.

 

O Standard escreve que a companhia de autocarros KMB vai reduzir as tarifas em 20 por cento nas viagens de regresso feitas no mesmo dia.