Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

PME pedem facilidades de acesso ao fundo China-Lusofonia
Sexta, 30/09/2016

As Pequenas e Médias Empresas querem um acesso mais fácil ao Fundo do Fórum para os Países de Língua Portuguesa. É a conclusão de um estudo feito pelo Instituto de Investigação do Ministério de Comércio da China e a Associação Comercial de Macau, citado pelo Jornal Tribuna de Macau.

 

A taxa de participação de empresas locais nos investimentos entre a China e os mercados lusófonos é baixa e para se inverter essa situação, o estudo sugere que as empresas de Macau passem a beneficiar de mais facilidades de acesso ao Fundo da Cooperação para o Desenvolvimento entre a China e os Países de Língua Portuguesa. Em suma, o fundo deve baixar o nível de exigências para abranger um maior volume de empresas locais, especialmente as pequenas e médias empresas.

 

O estudo propõe ainda que o Governo aumente o número de vagas para bolsas de estudo que permitam aos jovens ir para Portugal, no sentido de se forma­rem mais quadros bilingues.

 

A investigação, apresentada por Xu Yingming do Instituto de Investigação do Ministério de Comércio, envolveu visitas a diferentes pontos do mundo. O investigador avançou ainda que o estudo teve por referência a base de dados do Ministério do Comércio.

 

O Fundo da Cooperação para o Desenvolvimento foi lançado pelo Governo Central na 3ª Conferência Ministerial do Fórum de Cooperação entre a China e os Países Lusófonos. Funciona como um mecanis­mo de investimento e financiamento próprio do Fórum Macau. O valor inicial do Fundo cifrou-se em mil mi­lhões de dólares norte-americanos.