Em destaque

19 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.16 patacas e 1.12 dólares norte-americanos.

Biblioteca Central não vai ter mais de 53 metros de altura
Quarta, 28/09/2016

O Instituto Cultural (IC) garante que o projecto da futura Biblioteca Central, que vai nascer no Antigo Tribunal e prevê a construção em altura, mantendo a fachada do edifício, terá um limite máximo de 53 metros. Esta tarde, durante uma reunião do Conselho Consultivo de Cultura, o membro Kevin Ho sugeriu que o limite fosse alargado por uma questão de aproveitamento. Mas a decisão pode servir de mau exemplo na zona, apesar de já existirem prédios mais altos.

 

A chefe do Departamento do Património Cultural do IC, Leong Wai Man, explicou que é preciso ter como “referência” indicações para a preservação do património cultural. Na Avenida da Praia Grande, apesar de já existirem prédios mais altos, o Governo não quer abrir um precedente e construir em altura.  

 

“Temos um estudo. Achamos que é a altura ideal para aquela zona”, completou Leong Wai Man.

 

A futura Biblioteca Central ocupou grande parte da discussão do Conselho Consultivo de Cultura. No final do encontro, foi também revelado que os mais de 70 mil livros em língua portuguesa guardados em armazéns estão a ser preservados.

 

“Temos dado muita atenção à humidade e à temperatura do armazém”, assegurou a chefe do Departamento de Gestão de Bibliotecas Públicas do IC, Ophelia Tang.

 

Os livros “são de diferentes áreas temáticas” e “o mais antigo é de 1622”. De acordo com IC, todas as publicações em língua portuguesa de Macau constituem o maior acervo na Ásia e vão ser transferidos para as novas instalações da Biblioteca Central.