Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (Quinta-feira)
Quinta, 22/09/2016

A inauguração do Centro de Diagnóstico e Tratamento da Demência e os esclarecimentos das autoridades sobre a alegada ocupação ilegal de um edifício de habitação económica são temas praticamente transversais na imprensa local. Na região vizinha, os jornais continuam a acompanhar Li Keqiang em Nova Iorque e a polémica governativa em torno do projecto para um edifício habitacional em Hong Kong.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O jornal Ou Mun dá conta do atropelamento fatal de uma idosa que tentou atravessar a estrada no meio de veículos e acabou por ser atropelada por um camião. O condutor alega que a altura do veículo não lhe permitiu ver a mulher no meio da estrada.

 

O Va Kio faz manchete com o mesmo tema. Num outro título, um esclarecimento da Polícia Judiciária sobre o caso, publicado ontem no diário Ou Mun, de uma alegada ocupação de uma parte interdita do edifício de habitação económica Cheng Chong, no Fai Chi Kei, por parte de sem-abrigo. Agora as autoridades explicam que os objectos encontrados no local são de empregadas de limpeza que iam para o local descansar.

 

Ou Mun Tin Toi

 

O canal chinês de rádio da TDM noticia, esta manhã, que a Direcção dos Serviços de Solos, Obras Públicas e Transportes Vai realizar obras de embelezamento e uma passagem de 800 metros para peões entre a rotunda do COTAI e o prédio habitacional Onegrantai. As obras vao ter início no próximo ano.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Hoje Macau titula “oficina da memória” sobre a inauguração do Centro de Diagnóstico e Tratamento da Demência no hospital público. Em chamada de capa, sobre o referendo civil, de 2014, sobre as eleições para o Chefe do Executivo, o diário diz “história interminável”. Noutra chamada, lê-se “alojamento ilegal – uma lei sem calendário”.

 

O Jornal Tribuna de Macau ouviu académicos e diz em título que a “imagem do património precisa de mais ‘charme’”. Num estudo sobre o turismo cul­tural e o “valor” do Património, Xin Wang e Chia Hsin Leou sugerem ainda a criação de instalações de apoio e melhorias na acessibilidade, por forma a que o território seja atractivo para todos os turistas. O destaque fotográfico é feito com as Lanternas do Coelhinho: “tradição iluminada no Albergue”.

 

“Equívocos e mal-entendidos” é a manchete do Ponto Final. A Polícia Judiciária desmentiu que as zonas de refúgio do edifício Chong Cheng estivessem a ser utilizadas por sem-abrigo. O jornal acrescenta que, apesar de o alarme ter soado em falso, os sem-abrigo existem e estão referenciados. “Coima fora de tempo” é o título escolhido sobre uma possível multa aos organizadores do referendo civil em 2014.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

“Inflação atinge mínimos de seis anos” é a manchete do Business Daily sobre os dados revelados ontem pela Direcção dos Serviços de Estatística e Censos. Em Agosto, e face ao mesmo mês do ano passado, o acréscimo foi de 1,65 por cento – o mais baixo desde Janeiro de 2010. Noutro título, o diário económico diz que os analistas da Bernstein baixaram as estimativas para as receitas brutas do jogo da Sands China até 2018.

 

O Macau Daily Times dá conta das queixas dos turistas indianos sobre um “tratamento discriminatório” em Macau. No rodapé, este matutino diz que o Gabinete para a Protecção de Dados Pessoais “quer multar organizadores do ‘referendo’ de 2014”. Numa das chamadas de capa, lê-se que foi inaugurada a mostra de Lanternas do Coelhinho.

 

O Macau Post titula “Governo abre primeiro centro para tratamento de casos de demência”. O Centro de Diagnóstico e Tratamento da Demência fica localizado no rés-do-chão do edifício do Centro Hospitalar Conde de São Januário. Em foco ainda o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, que afirmou que a economia da China “tem capacidade para manter um crescimento médio-alto”.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

O China Daily faz manchete com o primeiro-ministro chinês. Na Assembleia-Geral das Nações Unidas, Li Keqiang afirmou que a China precisa ainda de aprofundar as reformas. Este jornal escreve ainda que o Banco da China foi nomeado o primeiro banco de compensação em renminbis nos Estados Unidos.

 

No South China Morning Post o ‘mea culpa’ do Chefe do Executivo de Hong Kong. O jornal publica várias fotografias de uma conferência de imprensa com CY Leung e o secretário para as Finanças. O jornal realça que o líder do Governo adoptou uma atitude corajosa, enquanto Jonh Tsang manteve um ar chateado. Nesta conferência de imprensa, CY Leung admitiu ter responsabilidade directa na controversa suspensão parcial de um projecto de habitação. Antes o Chefe do Executivo, tinha trazido o nome do secretário John Tsang para o meio da confusão.

 

O Standard destaca a mesma notícia de que CY Leung admitiu ter sido ele a tomar a decisão de construção do projecto habitacional por fases.