Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

EPM sem problema de dinheiro, diz Sales Marques
Sábado, 17/12/2011
A Escola Portuguesa de Macau (EPM) não enfrenta problemas financeiros para suportar o funcionamento, garantiu o administrador Sales Marques, no “Rádio Macau Entrevista”. “O milhão de euros que estava inscrito no orçamento do Ministério da Educação nunca foi utilizado na totalidade. De 2006-2007 até 2011-2012 os valores variam entre 8,6 e 8,9 milhões de patacas. As necessidades de financiamento não chegam aos nove milhões de patacas. 800-810 mil euros dão para responder às necessidades actuais e do próximo ano lectivo”, assegurou Sales Marques, que comentava a informação adiantada esta semana pelo diário “Ponto Final”, que referia que o Ministério da Educação vai diminuir em 200 mil euros o montante a atribuir à Fundação Escola Portuguesa de Macau.

Sales Marques disse que o Ministério da Educação e o Governo de Macau têm uma contribuição anual de mais de oito milhões de patacas e que o orçamento da EPM para este ano é de 34 milhões de patacas, mas o estabelecimento de ensino tem receitas próprias como as verbas arrecadadas pelas propinas e subsídios dos Serviços de Educação para apoiar obras ou projectos educacionais.

O administrador da Fundação Escola Portuguesa de Macau elogia, de resto, a atitude que o Governo tem tido em relação ao dossier EPM. “O Governo da RAEM tem tido grande compreensão pelas dificuldades e tem procurado encontrar as melhores soluções para que a Escola Portuguesa seja um ponto de referência da língua e da cultura portuguesas e uma escola ao serviço da RAEM”, afirmou.

Sales Marques acrescentou que conta com o apoio do Governo de Macau para construir o novo edifício, caso o estabelecimento de ensino mude de instalações. Quanto ao acordo com Stanley Ho afirmou que não é uma questão que está em cima da mesa e confirmou que o empresário chegou a entregar dinheiro à Fundação Escola Portuguesa de Macau, embora não tenha revelado o montante.

Quanto à eventual saída das actuais instalações, Sales Marques diz que em 2012 pode ser tomada uma decisão final e que tudo aponta para que a EPM venha a ser transferida para as instalações do antigo Hotel Estoril. “Tenho alguma confiança que 2012 pode ser o ano das grandes decisões. Neste momento há um forte pendor que aponta para a mudança. Mas estamos no campo das probabilidades, não há certezas para já”, disse Sales Marques, frisando que o projecto significa o aproveitamento do espaço, que continuará a disponibilizar a piscina à população.

Ainda no “Rádio Macau Entrevista”, Sales Marques defendeu o aumento do número de deputados eleitos pela via directa e preconizou que é necessário cativar os jovens para a política.