Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Analistas: economia vai sofrer queda de quase 6% em 2016
Segunda, 19/09/2016

A economia de Macau vai fechar o ano com uma quebra real de 5,9 por cento. As contas são da Economist Intelligence Unit, citadas pela página electrónica de notícias Macauhub. A unidade de análise económica prevê também que Macau vai agora iniciar uma fase de recuperação.

 

O relatório sobre Macau refere que em 2017 será retomada a senda de crescimento económico, com o “período mais negro” – que inclui o ponto mais baixo nas exportações de serviços relacionados com a indústria do jogo – a ficar para trás. Assim, apesar da contracção de 10,3 por cento verificada no primeiro semestre, a unidade de análise económica prevê para todo o ano uma quebra anual de apenas 5,9 por cento em termos reais.

 

Os analistas antevêm que em 2017, a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) vai inverter a tendência de queda que se regista desde 2014. No próximo ano, o PIB deve registar um aumento de mais de 11 pontos percentuais face a 2016 para 5,3 por cento.

 

Por outro lado, a Economist Intelligence Unit estima que a formação bruta de capital fixo ou investimento deverá passar de menos 19,7 por cento este ano para menos 3,3 por cento no próximo, enquanto o saldo orçamental público em percentagem do PIB vai continuar em queda para um valor de 7 por cento.

 

O relatório refere ainda que foram já ultrapassados os efeitos “mais dramáticos” da campanha anti-corrupção lançada pelo Governo chinês, com os analistas a lembrarem que em Agosto o valor das receitas brutas do jogo marcou o fim das quedas consecutivas sentidas durante 26 meses.

 

Sobre a despesa pública, a Economist Intelligence Unit antevê que continuará a crescer e que o Governo vai gastar mais para servir de amortecedor à contracção económica verificada.