Em destaque

22 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.20 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Caso das campas: Sales Marques quebra silêncio
Sábado, 17/12/2011
Sales Marques quebra o silêncio no chamado caso das campas e, no programa “Rádio Macau Entrevista”, afirma que está de consciência tranquila. “Tudo o que foi feito foi para trazer paz e tranquilidade. Paz aos mortos e tranquilidade às famílias. As pessoas esquecem que tudo foi feito num período de dificuldades de gestão de emoções, numa fase que se vivia ainda o pós-transferência de administração”, disse à Rádio Macau o antigo presidente da Câmara Municipal Provisória de Macau.

Sales Marques acrescentou que “foi importante a Câmara ter tomado decisões atempadas e correctas para trazer tranquilidade às famílias que estão sepultadas naqueles espaços”. E precisou: “Foi ainda possível acabar com todo o tipo de especulações e o que se dizia que podia ser o futuro do terreno onde se encontra o cemitério S. Miguel Arcanjo. Na altura, a Câmara cumpriu, fez o seu papel e agiu com lealdade para com a população de Macau e os órgãos políticos da RAEM”.

Na primeira reacção desde que o caso foi tornado público, Sales Marques disse que “se sentiu ferido e triste por algumas coisas que foram ditas e pela forma como foram ditas” e admitiu que voltaria a tomar as mesmas decisões. “Para mim foi sempre um assunto encerrado. Nunca foi um caso. Nunca foi um assunto, nem sequer quero pensar nisso.” A polémica em tornou do caso “não terá sido dirigida sobretudo a mim, mas quem assume responsabilidade tem de estar preparado para as consequências”, acrescentou.