Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Sheldon Adelson: “Já batemos no fundo. Vamos voltar acima”
Terça, 13/09/2016

O pior já passou. Em dia de inauguração de mais um hotel-casino no Cotai, o Parisian, o patrão da Las Vegas Sands, Sheldon Adelson, renova a confiança no mercado e no Governo de Macau.

 

O magnata norte-americano que se apresenta como o inventor do Cotai, teve mais uma visão: em Janeiro, sentiu que Junho seria o mês com piores resultados em Macau. Com as receitas brutas do jogo a registarem, em Agosto, o primeiro crescimento positivo em 27 meses, o Sheldon Adelson acredita que, a partir de agora, será sempre a subir.

 

“Basicamente, já batemos no fundo. A recuperação será gradual. Fomos abaixo gradualmente, vamos voltar acima gradualmente. Macau tem ainda uns bons dias pela frente. Não consigo prever qual vai ser a percentagem de crescimento, mas estou optimista em relação ao futuro”, diz.

 

Sheldon Adelson espera recuperar o investimento de 11,5 mil milhões de patacas feito no Parisian dentro de um ano, acrescentando que fica “desiludido” se demorar mais do que quatro anos a equilibrar as contas.

 

A confiança no mercado chega ao ponto de Adelson mostrar interesse em investir mais em Macau, depois de ter esgotado os seis lotes atribuídos pelo Governo.

 

O magnata acredita, de resto, que é quem está em melhores condições de manter a licença de jogo após 2022 por ter apostado no sector extra jogo. A meta do Governo é que este segmento passe a representar, pelo menos, nove por cento das receitas totais em 2020.

 

“Estamos, sem qualquer dúvida, com esperança e optimistas. Se o que o Governo diz é que quer mais oferta não relacionada com o jogo, então, nós temos mais elementos extra jogo do que qualquer outra concessionária ou subconcessionária. Estamos, portanto, muito confiantes de que vão renovar a nossa concessão antes ou em 2022”, acredita Sheldon Adelson.

 

O Parisian abriu com 410 mesas de jogo. Sheldon Adelson diz que os junkets, fundamentais na angariação de jogadores de altas de apostas, estão a ser desviados para outros mercados da região. Por cá, além de uma nova Paris, a Las Vegas Sands terá sempre o mercado de massas.