Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Uber continua em Macau com PSP a manter combate
Sexta, 09/09/2016

A Uber vai continuar a operar em Macau, depois de ter anunciado que hoje seria o último dia. A decisão foi tornada pública esta tarde, através de um comunicado em que empresa agradece o “apoio sem precedentes” da sociedade civil e dos deputados que tentaram pressionar o Governo a legalizar o serviço – até lá, as autoridades prometem manter o cerco apertado.

 

O combate vai continuar. De um lado a Uber, com as mais de 23 mil assinaturas que conseguiu no abaixo-assinado pela legalização do serviço; do outro, a polícia, empenhada em passar multas e fazer cumprir a lei.

 

Para o Corpo de Polícia de Segurança Pública, nada mudou: a Uber “presta um serviço de transporte ilegal” e vai continuar a pagar caro por isso. As multas chegam às 30 mil patacas e bastou que 346 motoristas fossem multados para a empresa sofrer um golpe de 10 milhões de patacas.

 

O peso das multas foi razão para a Uber ter anunciado o fim das operações em Macau. O adeus estava marcado para esta sexta-feira, mas a empresa fez marcha atrás. Em comunicado, a Uber diz que “vai continuar a servir os passageiros e condutores de Macau”.

 

A decisão é apresentada como um agradecimento a todos os que pressionaram o Governo, nas últimas semanas.  Houve petições da sociedade civil, apelos de deputados e condutores, e uma manifestação que mobilizou centenas de pessoas.

 

A Uber lembra que os serviços que presta foram legalizados um pouco por toda a parte, incluindo na China. A empresa garante ainda ter os mesmos objectivos que o Governo: oferecer um serviço de transporte “de confiança” e que funciona.

 

A empresa diz ainda esperar que o Governo “siga o exemplo dos legisladores progressistas” e reconheça o papel que o transporte partilhado pode ter para o desenvolvimento de Macau.

 

À Rádio Macau, o gabinete do secretário para os Transportes e Obras Públicas disse não ter comentários a fazer sobre a decisão da Uber.