Em destaque

18 de Abril de 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9,1616 patacas e 1,1296 dólares norte-americanos.

 

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (sexta-feira)
Sexta, 09/09/2016

Em Macau, o plano quinquenal domina os jornais. Em Hong Kong, a imprensa olha para as ameaças de morte ao grande vencedor das eleições legislativas do passado fim-de-semana.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun ocupa a capa com textos sobre a apresentação da versão final do Plano de Desenvolvimento Quinquenal, sublinhando o facto de Chui Sai On ter enfatizado a necessidade de melhorar a qualidade de vida da população. Noutro artigo, as declarações do secretário para os Transportes e Obras Públicas: Raimundo do Rosário diz que alguns terrenos disponíveis podem ser para armazéns ou serviços da Administração, mas a grande prioridade é a habitação, sobretudo a habitação social.

 

O Va Kio tem a mesma opção editorial, ao escrever na primeira página sobre o plano e a promessa do Governo em relação à qualidade de vida.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a explicar que o rendimento da taxa de juros das contas individuais de previdência deste ano já foi transferido. A taxa é de 0,13 por cento.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau publica uma fotografia de Chui Sai On na manchete, com o título “Ensino da Língua Portuguesa como prioridade do Executivo”. Noutro destaque, “Chui Sai On ‘muito contente’ por visitar Portugal”.

 

“Terceira via”, lê-se no Hoje Macau, a propósito de autocarros híbridos em teste. O plano quinquenal também merece referência na primeira página: “Uma mão cheia de intenções”.

 

Quanto ao Ponto Final, elege para tema principal da edição a política linguística: “Passarinhos quadrúpedes e novos dislates”. Quanto ao plano ontem apresentado pelo Chefe do Executivo, está na capa do jornal com o título “Ordem e progresso ao fim de cinco anos”.  

 

O Clarim tem como assunto principal da edição de hoje o cônsul honorário de Portugal em Omã, Pedro Delfino: “Vasco da Gama é exemplo a seguir”. O jornal publica uma entrevista ao constitucionalista Gomes Canotilho: “O sentido do voto e da democracia”.

 

“Mercado chinês protegido”, diz o semanário Plataforma Macau, sobre o investimento de Pequim na Europa. O jornal publica uma entrevista a Roberto Carneiro, com o título “Consolidar a lusofonia”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily puxa para a primeira página as declarações de Chui Sai On acerca da estabilização do sector do jogo, com o título “Quando menos é mais”. Noutro destaque, a saída da Forever 21 da “Casa Amarela” e as razões que levaram a empresa a abandonar o espaço.

 

Quanto ao Macau Daily Times, escreve nas gordas que “Chui elege a habitação pública como prioridade”. Com direito a fotografia, a Fórmula 1, que vai ser comprada pelo grupo norte-americano Liberty Media.

 

O Macau Post Daily também opta por escrever nas gordas sobre o Chefe do Executivo, explicando que Chui Sai On acredita que será possível a oferta de habitação pública dar resposta à procura. Noutro texto, um caso de polícia: um jovem dos Camarões, jogador de futebol de uma equipa local, é acusado de ter roubado um anel de diamantes a uma amiga.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Em foco no China Daily está a cimeira da Associação dos Países do Sudeste Asiático e os esforços para evitar a discórdia em torno da segurança marítima. O jornal oficial reserva ainda espaço para os Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro: a delegação chinesa é constituída por quase 500 pessoas.

 

O South China Morning Post dá destaque ao facto de o grande vencedor das eleições legislativas de domingo passado ter recebido várias ameaças de morte – Eddie Chu está a ser protegido pela polícia 24 horas por dia. Noutro texto, as recomendações da Autoridade Monetária de Hong Kong acerca da necessidade de equilíbrio em relação à abertura de contas bancárias por empresas estrangeiras.

 

Por último, o Standard, que tem também como notícia principal da edição de hoje a protecção policial oferecida ao “rei dos votos” nas eleições legislativas de Hong Kong.