Em destaque

21 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.21 patacas e 1.13 dólares norte-americanos.

Governo aposta na investigação com empresas de patentes
Terça, 06/09/2016

Os apoios do Governo à investigação na área da ciência e tecnologia vão entrar numa “nova fase”: a ideia é explorar o capital comercial dos projectos desenvolvidos até aqui pelas universidades. O anúncio foi feito à saída de uma reunião plenária do Conselho de Ciência e Tecnologia.

 

“Com o desenvolvimento que foi efectuado nas universidades ao longo deste tempo, [vamos] ver quais são os projectos desenvolvidos e que levaram, no caso da Universidade de Macau (UM) e da Universidade de Ciência e Tecnologia, à criação de algumas patentes internacionais, que se poderão explorar comercialmente”, disse Rui Martins, vice-reitor da UM.

 

No caso da Universidade de Macau, destacam-se os projectos desenvolvidos através dos Laboratórios de Referência do Estado na área da medicina chinesa e da electrónica. Há 30 patentes aprovadas e que poderão levar à criação de empresas com os alunos que trabalharam nos projectos.

 

Na reunião plenária, ficou também decidido que vai ser criado um grupo de trabalho para transformar Macau numa cidade inteligente. Esta equipa é liderada por Frederico Ma, da Companhia de Parques de Macau. Rui Martins explica o que está em cima da mesa: “É uma questão de aplicar algumas das tecnologias que existem à situação de Macau. Por exemplo, falou-se num passe electrónico que dá para circular por todos os transportes. Isso pode ser uma possibilidade. Mas há também a informação acerca do movimento de autocarros, do trânsito, a relação com os parques de estacionamento – onde há estacionamento, onde há mais tráfego”.

 

O Conselho de Ciência e Tecnologia pretende trabalhar com mais serviços públicos e entidades privadas. Em Novembro, vão ser aceites candidaturas. Além do sistema de transportes inteligente, é dada prioridade a propostas relacionadas com assistência médica e turismo.