Em destaque

14 de Fevereiro 2019: às 12h30, o BNU negociava 1 euro por 9.1522 patacas e 1.1278 dólares norte-americanos.

Revista de imprensa de Macau e Hong Kong (terça-feira)
Terça, 06/09/2016

A aplicação TaxiGo, os temas em debate na reunião de ontem do Conselho do Planeamento Urbanístico e o resultado das eleições em Hong Kong. São assuntos em foco nos jornais desta terça-feira.

 

Jornais de Macau em língua chinesa

 

O Ou Mun ocupa a primeira página com as conclusões da reunião de ontem do Conselho do Planeamento Urbanístico, com grande destaque para os limites à construção em altura na zona junto à Assembleia Legislativa. Noutro texto, as dúvidas dos membros do conselho sobre a localização da futura biblioteca central.

 

O Va Kio também puxa para a capa pelo encontro de ontem do Conselho do Planeamento Urbanístico, mas ilustra a primeira página com uma fotografia de um homem encapuzado a ser levado por agentes da Polícia Judiciária. Trata-se de um homem suspeito de ter fabricado cartões bancários, com os quais levantou 59 mil dólares de Hong Kong em caixas ATM do território.

 

Canal chinês da Rádio Macau

 

A Ou Mun Tin Toi tem estado esta manhã a dar conta ainda dos vários encontros bilaterais que aconteceram no âmbito do G20, com destaque para as reuniões em que a China esteve em foco. Outra notícia em grande plano: Barack Obama cancelou aquela que seria a primeira reunião com o Presidente das Filipinas depois de Rodrigo Duterte o ter insultado.

 

Jornais de Macau em língua portuguesa

 

O Jornal Tribuna de Macau escreve na manchete que “TaxiGi promete que terá inglês e português”. No destaque fotográfico, a Escola Portuguesa de Macau: “Regresso às aulas com cores garridas”.

 

“A dama do lago”, lê-se no Hoje Macau, a propósito da possibilidade ontem veiculada pelo secretário para os Transportes e Obras Públicas em relação à instalação dos três centros do Fórum Macau em terrenos próximos aos lagos Nam Van. No topo da primeira página, as eleições em Hong Kong e o título “Desafio jovem”.

 

Quanto ao Ponto Final, elege precisamente para tema principal da edição o sufrágio de domingo passado na região vizinha: “E agora, Hong Kong”, pergunta o jornal. A educação e a Escola Portuguesa também estão em foco na capa: “Ano novo, roupa nova”.

 

Jornais de Macau em língua inglesa

 

O Business Daily foi tentar perceber o que é o TaxiGo, uma aplicação lançada este mês em Macau. O responsável pela iniciativa diz que se trata de uma forma de melhorar a imagem do serviço de táxis e recusa ligações a organizações, associações políticas ou departamentos do Governo. O económico escreve ainda na capa sobre as mais recentes estatísticas monetárias e financeiras.

 

Quanto ao Macau Daily Times, diz na manchete que “os críticos de Pequim garantem assentos no Conselho Legislativo de Hong Kong”. No destaque fotográfico, o Netflix – as limitações do catálogo de Macau levam a crer que será difícil a entrada na China Continental.

 

Já o Macau Post Daily refere que “a cimeira do G20 terminou com um consenso histórico em torno do crescimento económico global”. Na actualidade local, destaque para a detenção de um homem da China Continental que, diz a Polícia Judiciária, confessou ter fabricado cartões bancários, com os quais levantou um total de 59 mil dólares de Hong Kong em máquinas ATM de Macau.

 

Jornais de Hong Kong em língua inglesa

 

Em foco no China Daily está a cimeira de líderes do G20 e o facto de Xi Jinping ter louvado “conquistas fundamentais” para o futuro da economia global. Sobre as eleições legislativas de Hong Kong, o jornal oficial chinês opta por destacar as felicitações deixadas por C.Y. Leung aos 70 deputados eleitos.

 

O South China Morning Post tem outra abordagem ao resultado do sufrágio de domingo passado, ao escrever nas gordas que “eleitores mudaram o cenário político”. A cimeira do G20 também ocupa espaço na capa: o matutino explica que os líderes encontraram uma base comum de trabalho nas questões financeiras.

 

Por último, o Standard, que tem também como notícia principal da edição de hoje as eleições em Hong Kong: o destaque vai para os novos rostos – da ala pró-independência – do Conselho Legislativo. Além dos candidatos em festa, o jornal publica uma fotografia de um inconsolável veterano que saiu derrotado do sufrágio.